Cidades:

Brasil, Mato Grosso, Polícia, Rondonópolis



Publicado em 2 de fevereiro de 2012 | 18:22 | RICARDO COSTA

Big Master importa mão de obra do Haiti e fecha as portas para rondonopolitanos

Rodrigues e os hatianos na cidade de Brasiléia no Acre - Foto: Alexandre Lima - O Alto Acre

A rede de supermercado Big Master instalada em Rondonópolis a menos de seis meses, está adotando uma política empregatícia no mínimo discrepante para uma empresa que recebeu benefícios para se instalar no município e que deveria pelo menos, em tese, ofertar emprego para os trabalhadores locais.  A rede resolveu investir na importação de mão de obra, empregando 41 haitianos que entraram de forma irregular no país através da fronteira do Brasil com a Bolívia, mais especificamente na cidade de Brasiléia no Acre.

Segundo o secretário de Ciência Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Valdemir Castilho, o Biliu (PSL), a prefeitura investiu mais de R$ 150 mil em terraplanagem para a instalação da rede de supermercados, “Estou decepcionado com estes empresários, facilitamos a vida deles e em contrapartida solicitamos apenas que eles gerassem empregos na cidade”, atacou.

Haitianos chegam a casa alugada pela rede de supermercados - Foto: Ricardo Costa / AGORA MT

Os 41 Haitianos, entre homens e mulheres, estão vivendo em duas casas próximas a loja e são transportados de ônibus, já que a maioria acabou de chegar à cidade e não falam o português.

De acordo com o diretor presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Rondonópolis, Viriato Bispo Seabra, problemas envolvendo o nome da empresa em Rondonópolis não são nenhuma novidade, “desde o início da construção, o Big Master, teve problemas trabalhistas, inclusive sendo obrigado a firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho”, revelou Viriato.

O líder sindical avalia que a rede de supermercados não definiu critérios claros para a contratação dos seus funcionários em Rondonópolis, “Eles fizeram muitas contratações antes da inauguração e do Natal e logo em seguida fizeram demissões em blocos”, reclamou. Viriato ainda advertiu que nada impede a rede de importar mão de obra, “Não existe nada na legislação que impeça isso, mas, não é possível aceitar que numa cidade de 200 mil habitantes não se consiga preencher as vagas abertas no supermercado”.

Indignado com a situação Viriato revela que a mão de obra local, ainda se ressente de vagas, “Desconheço que exista a falta de mão de obra local, ainda a muita mão de obra em Rondonópolis necessitando de uma vaga de trabalho”.

POLÍCIA FEDERAL INVESTIGA

Agentes da delegacia da Polícia Federal (PF) em Rondonópolis estiveram hoje (02/02) na rede de supermercados Big Master, para verificar se os Haitianos que serão contratados estariam no Brasil de forma regular. Segundo informações extraoficiais os imigrantes não estariam totalmente regulares ainda, mas, não há nada que impeça a permanência deles no Brasil.

A PF volta na sexta-feira (03/02) ao supermercado para acompanhar uma bateria de exames médicos que serão feitos pela rede supermercado nos imigrantes.

CÂMARA MUNICPAL

Segundo o vice-presidente da Comissão de Indústria, Comércio, Turismo e Agricultura, o vereador Mohamed Zaher (PSD), ele irá provocar uma reunião da comissão para avaliar a conduta da rede de supermercados, “A prefeitura de Rondonópolis, a Câmara Municipal e a população do município investiram para a instalação deste empreendimento na cidade, no mínimo, eles teriam que priorizar os empregos para quem mora aqui e não importar mão de obra, vou provocar uma reunião da comissão e avaliar a conduta do supermercado em relação à cidade”, disparou Mohamed.

BIG MASTER

A equipe de reportagem entrou em contato com o diretor de Recursos Humanos do Big Master, Osvaldo Rodrigues, que foi o responsável pela contratação dos Haitianos, estando inclusive na cidade de Brasiléia/AC.

Rodrigues como é conhecido na rede, marcou uma entrevista com a equipe de reportagem para explicar a situação dos Haitianos, mas, deixou a sede da empresa sem levar seu aparelho celular e antes de receber a equipe como foi combinado.

O AGORA MT tentou de todas as formas ouvir as explicações da rede de supermercado, mas, diante da falta de compromisso do diretor de Recursos Humanos da empresa, a direção do site decidiu publicar a matéria sem uma reposta do BIG Master, no entanto, continuamos abertos a receber as explicações da rede de supermercados para o episódio.

NOTICIADO

A contratação dos haitianos foi comemorada na cidade de Brasiléia/AC e foi notícia no site www.oaltoacre.com, inclusive com entrevista feita com o diretor de Recursos Humanos do Big Master, Osvaldo Rodrigues.

Clique aqui e veja

102 comentários

  1. Andreia Correia:

    A todos que estão a favor do Mercado, só tenho uma coisa a dizer. Eles trouxeram essa mão de obra toda de fora. Ok. Mas e se o mercado fecha (pelo que tenho visto, e falado com pessoas que trabalham lá, não vai durar muito, porque vieram com uma visão que aqui é a capital da soja, e quiseram montar um mercado para a classe alta, com preços exorbitantes não condizentes com os padrões de vida de Rondonópolis). Podem ver pela quantidade de pessoas que passam diariamente pelo mercado, o movimento, a quantidade de carros no estacionamento, podemos ver que o mercado não está tendo essa popularidade esperada. Se isso realmente acontecer, o que será feito dessas pessoas??? Ficarão aqui em Rondonópolis, aumentando o índice de desemprego, e que dificilmente conseguirão inserção no mercado de trabalho, tanto por serem negros (sabemos do preconceito com essas pessoas, não sejamos hipócritas), não terem estudos, e não falarem português. Isto só fará aumentar a fila de espera por casas, como não são brasileiros, não terão benefícios sociais…e o que virá depois? tirem suas próprias conclusões.
    Somos sim, a favor de ajudar as pessoas, porém devemos ter a consciência de que não estamos conseguindo ajudar nem os daqui, ainda trazem mão de obra de fora.
    Sou voluntária da cruz vermelha a anos, porém não sou a favor de trazer esse tipo de mão de obra, porque assim só estaremos inchando a fila do desemprego e da violência…

    Responder

Deixe seu comentário

Rádio AgoraMT