Cidades:

Destaques, Política



Publicado em 17 de julho de 2013 | 5:30 | Da Redação com R7

Mesmo com rejeição, Dilma mantém liderança para 2014

A presidente Dilma Rousseff sofreu uma queda significativa de popularidade após os protestos que tomaram as ruas do País em junho deste ano. De acordo com pesquisa da CNT (Confederação Nacional dos Transportes), divulgada nesta terça-feira (16), a porcentagem de brasileiros que aprova o desempenho pessoal da presidente caiu de 73,7%, para 49,3% de junho para julho.

O índice está tecnicamente igual ao de desaprovação, que oscilou de 20,4% para 47,3%. Não souberam ou não responderam somam 3,4%.

A avaliação positiva do governo Dilma também despencou, passando de 54,2% para 31,3%. A avaliação negativa foi de 9% para 29,5%. Já a porcentagem de pessoas que consideram a gestão dela regular subiu de 35,6% para 38,7%. Entre os entrevistados, 0,5% não soube opinar ou não respondeu a essa pergunta.

Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Transportes, Clésio Andrade, a situação ainda pode ser revertida.

— A posição é que pode recuperar e pode também não recuperar, isso depende da resposta aos protestos, que estão muito ligados dependendo da área. Nos centros urbanos, a principal demanda, por exemplo, é transporte.
Os dados da CNT confirmam a queda apontada por pesquisa Datafolha divulgada no dia 28 de junho. Na ocasião, a sondagem apontou que 30% dos brasileiros consideravam a gestão da petista boa ou ótima, sendo que na primeira semana de junho — antes das manifestações que se espalharam pelo Brasil — o número chegava a 57%.

Liderança

Mesmo com a queda nos números, a presidente ainda lidera a corrida presidencial para 2014, com 34,4% da intenção de votos no primeiro turno. Em segundo lugar vem Marina Silva (Rede), com 20,7%, seguida pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), com 15,2%, e pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que tem 7,4% das intenções de voto.

Se Dilma fosse para o segundo turno com Marina Silva, lideraria a disputa com 38,2% dos votos, contra 30,5% de Marina. Em caso de segundo turno com Aécio Neves, a petista também ganharia a corrida ao Planalto, com 39,6% da intenção de votos.

Quando a pergunta mirou especificamente a presidente Dilma, 20,5 % dos entrevistados responderam que ela seria a única candidata em quem votariam, mas 44,7% afirmaram que não votariam nela de jeito nenhum.

Nesta edição do estudo da CNT foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 134 municípios de 20 Estados, entre os dias 7 e 10 de julho de 2013.

Rádio AgoraMT