Foto: arquivo / AGORA MT

Outras paralisações estão ocorrendo em Mato Grosso. Nos órgãos executivos estaduais, os servidores da Educação, da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e do Departamento de Trânsito de Mato grosso (Detran-MT) estão parados. Na esfera federal, os servidores do Ministério Público da União (MPU), da Justiça eleitoral, federal e do trabalho, além do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (Sintuf/MT) também suspenderam as atividades até que suas reivindicações sejam atendidas.

Os servidores da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão estavam também com as atividades paralisadas, mas decidiram encerrar o movimento no início da semana. Em reunião com o secretário de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), José Domingos Fraga, os servidores aceitaram a proposta de ter o salário reajustado em até 100%, dependendo do cargo. Para os agentes administrativos, por exemplo, o aumento chegará ao percentual total, passando de R$ 971 para R$ 1.942.

Leia também:  Agenda cultural tem peças infantis, exposições e filmes gratuitos

Os escrivães e investigadores da Polícia Civil de Mato Grosso, por sua vez, fazem uma assembleia geral hoje às 14 horas para decidir de entram ou não em greve. Eles querem reajuste salarial de R$ 2,3 mil para cerca de R$ 6 mil. A categoria já havia feito uma paralisação de 3 dias no começo de junho para tentar abrir negociações com o Governo.

UFMT – Os professores da UFMT aprovaram na segunda-feira (27) uma paralisação de 24 horas, no dia 5 de julho. Outra assembleia para avaliar um indicativo de greve está marcada para o dia 20 de julho.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.