foto ilustrativaApós várias denúncias, policiais militares conseguiram prender a “Vovó do Pó”, como é conhecida a aposentada Maria Ana da Conceição, de 71 anos. Anteontem à noite, ela foi flagrada com 13 trouxinhas de pasta-base de cocaína em sua casa, na rua 318 do bairro Tijucal, em Cuiabá. Além do entorpecente, os policiais apreenderam R$ 1.453 em cédulas de diversos tamanhos e também tesouras e sacolas recortadas.

A prisão ocorreu após os policiais receberem a informação de que a “Boca da Vovó” estava com uma movimentação estranha, pois havia muita gente entrando e saindo do recinto. Chegando ao local, os policiais revistaram a casa e apreenderam a cocaína, escondia embaixo da geladeira, mas o dinheiro estava espalhado em diversos pontos da casa – no freezer e até num pacote de alimentos.

Leia também:  Enquanto jantava, vítima tem carro furtado em Rondonópolis

Moradores disseram que o movimento na casa é intenso e a Vovó do Pó teria iniciado no tráfico através de filhos que acabam gerenciando o esquema, deixando-a na frente dos trabalhos, como na distribuição do entorpecente.

Conforme os policiais, a aposentada tem antecedentes. Ela respondeu inquérito pelos crimes de tráfico de drogas e também por receptação – com ela, além da droga, foram apreendidos diversos objetos trocados por entorpecente. Os policiais acreditam que havia mais droga na casa, mas não foi possível localizá-la.

“A movimentação de entorpecente é grande. Recebemos várias denúncias, mas nunca conseguimos apreender. Desta vez foram 13 trouxinhas prontas para ser comercializadas”, disse um policial.

Leia também:  Assaltante se passa por cliente e rouba jóias e motocicleta de vendedor

No Plantão Metropolitano, ela negou ser traficante. Alegou que sua casa é frequentada por diversas pessoas que dormem por lá e podem ter levado o entorpecente. Ela acrescentou que o dinheiro é proveniente de sua aposentadoria.

“Não nego que minha casa é frequentada por muita gente. Essas pessoas acabam dormindo lá e nem sei o que trazem. Pode ser que a droga seja de uma dessas pessoas”, justificou-se. O argumento, no entanto, não convenceu o delegado plantonista, que a autuou por tráfico.


Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.