FOTO INTERNET

Mato Grosso ainda compra de outras unidades da federação entre 70% e 80% dos produtos hortifrutis consumido no estado, mesmo com 150 mil famílias trabalhando na agricultura familiar de MT, de acordo com servidores da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Extensão e Assistência Rural (Empaer).

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa, Assistência e Extensão Rural do estado de Mato Grosso (Sinterp), Gilmar Brunetto, essa situação é um reflexo do abandono da agricultura familiar, um dos motivos pelos quais os servidores do Sinterp estão em greve.

Para Brunetto, com mais investimento em tecnologia, veículos e funcionários, a Empaer reverteria esse quadro. “Não digo que a agricultura familiar poderia suprir 100% da demanda do Estado, mas com certeza com mais investimento na produção daqui, não precisaríamos comprar tanto de outros estados”, reflete.

Leia também:  Juscimeira | Recadastramento de idosos no BPC segue até 30 de novembro

“Quase toda melancia consumida aqui vem de fora. O abacaxi que nós comemos é do Pará, o leite é de Goiás”, exemplifica. “Temos muitas potencialidades e sabemos fazer isso aqui também, mas precisamos de mais investimentos”, reclama.

Em greve há quatro dias, os trabalhadores da Empaer pedem mais recursos para a pasta, um Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) e a contratação por meio de concurso público de pelo menos 600 novos profissionais. Além do aumento salarial, que é feito por meio de acordo coletivo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.