A Associação dos Criadores de Mato Grosso (ACRISMAT), solicitou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MAPA, que seja feito leiloes de milhos, nos moldes do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (PEPRO), em razão da crise vivida pelos suinocultores do Estado, em detrimento do alto custo de produção.

Paulo Lucion, presidente da Acrismat, argumentou que a saca de milho, comercializado entre R$16 a R$18, está inviabilizando a produção de suínos no Estado, por essa razão é necessária a interferência do Governo para que o produto esteja mais barato, pois o preço da carne caiu e o milho aumentou o que dificulta o trabalho.

Segundo Lucion, outro custo alto da produção é a energia, que consome boa parte dos recursos da atividade. Recentemente, a Acrismat solicitou ao Governo do Estado a suspensão temporária do percentual de ICMS que incide sobre as contas de energia dos produtores de suínos. “No Paraná, já há um dispositivo em forma de legislação que suspende a cobrança de ICMS sobre a energia dos suinocultores assim que o setor entra em crise”, informou.

Leia também:  Policial baleado em resgate de empresária sequestrada passa por cirurgia

Lucion informa ainda que o preço do milho deve subir em razão da quebra de safra de Mato Grosso, que chega a 20%. Em outros Estados, em razão das geadas no Mato Grosso do Sul e no Paraná, a oferta de milho diminuiu também.

A Acrismat ainda solicitou à Conab, a realização de compra de milho via balcão. Segundo a Associação em Mato Grosso esta modalidade de venda não era realizada no Estado. Em pedido feito pela Associação Brasileira de Criadores de Suínos, ABCS, a Acrismat solicitou a oferta deste tipo de venda para os suinocultores de Mato Grosso, pela quantidade mínima de 27 mil quilos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.