Projeto solicita a contratação de três monitores para atuar na cachoeira Véu das Noivas, o chefe do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, Cecílio Vilabarde Pinheiro, protocolou nesta segunda-feira (18) um estudo com o pedido, junto ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio),  para liberação dos novos funcionário para acompanhar os turistas. Por conta de irregularidades na contratação de mão de obra, os turistas estão impedidos de visitar a cachoeira de 86 metros.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) solicitou a interdição do local, pois considerou irregular o pagamento que estava sendo feito pela Prefeitura Municipal aos monitores do parque. O TCE determinou também que os contratos não fossem renovados.

Leia também:  Inscrições para o 'Encontro de Bibliotecas de MT' vão até dia 25 de novembro

“Pedimos a contratação dos monitores de turistas. Agora, a comissão de licitação do ICMBio deve analisar o nosso pedido e poderá aprovar ou não a contratação”, comentou Cecílio Pinheiro. Segundo ele, as perdas com o fechamento da visitação à cachoeira, no ponto de vista do turismo em Mato Grosso, são grandes. “De acordo com o nosso controle, por dia passam pelo local durante o período de férias em média 300 pessoas”, estimou o chefe do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães.

Segundo a analista ambiental do Instituto, Priscila Nespoli, que trabalha no Parque Nacional, a cachoeira Véu de Noiva é o local mais visitado do parque. “Trata-se do atrativo que mais recebe turistas e não pode ficar sem um controle mínimo dos monitores”, comentou a analista ambiental. Ela explica ainda que um monitor fica na guarita e o outro segue acompanhando os turistas.

Leia também:  Governo do Estado inaugura escola militar em Juara

Interdição após morte

Em 2009, a presença dos monitores se tornou obrigatória no Véu de Noiva para evitar acidentes com os visitantes. Isso porque no dia 21 de abril de 2008, um grupo que tomava banho na cachoeira foi atingido por um imenso bloco de rocha que se desprendeu do paredão. Uma adolescente de 17 anos morreu e outras seis pessoas ficaram feridas.

Após o acidente, a trilha ficou interditada por um ano e três meses e só foi reaberta em caráter emergencial. Desde então, toda a região passou a ser sinalizada, até mesmo nas trilhas e rampas, além de conter placas de orientação.

Em janeiro deste ano, foi fechada uma nova parceria entre a prefeitura de Chapada dos Guimarães e o ICMBio. O acordo previa o pagamento dos salários dos quatro monitores pela prefeitura. No entanto, esse acordo foi questionado pelo TCE.

Leia também:  Concurso da Seduc recebe mais de 250 mil inscrições

Visitantes

Em 2010, o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães recebeu 90.817 turistas, sendo que 95,7% dos visitantes passaram pela cachoeira Véu de Noiva. A trilha que leva à cachoeira possui 550 metros de extensão. O ICMBio confirmou que os demais atrativos do Parque Nacional, como o Circuito das Cachoeiras, o Morro do São Jerônimo e Vale do Rio Claro continuam funcionando normalmente.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.