O comandante da Polícia Militar de Rondonópolis, Odair Pereira de Moura (40), conhecido como Major Moura recebeu a equipe do AGORA MT para falar sobre sua trajetória na polícia e o trabalho da corporação pela segurança pública de Rondonópolis.

Moura afirmou que é flamenguista roxo e que em Rondonópolis torce pelo Tigrão. Outra atividade que o Major gosta de fazer nas folgas é pescar, mas segundo ele isso é só um esporte mesmo, porque entre os colegas é conhecido como pé frio, aquele que quando chega afasta os peixes.

Major Moura contou que ser policial sempre foi o seu desejo de criança por ter pessoas da família envolvidas no ramo. Desde os 18 anos ele trabalha na polícia e afirma que escolheu bem a sua profissão já que o que sempre lhe chamou atenção nesse trabalho é poder servir e proteger a sociedade.

– Devido a sua profissão você consegue manter uma vida social?

O polícia militar deve ser uma pessoa comunitária, somos cidadãos de bem igual a todos, então me conduzo bem em qualquer lugar, não tenho nenhum tipo de receio. Trabalho em prol da sociedade, não vejo o porquê do distanciamento, temos que estar inseridos.

– Você encontrou dificuldades quando assumiu o comando da Polícia Militar em Rondonópolis?

A dificuldade é própria a qualquer cargo ou função, o importante é estar preparado e ter iniciativa e parcerias para que possa vencer os obstáculos. Para tudo na vida encontramos barreiras, mas nós como profissionais temos que estar prontos para superá-los usando da criatividade para desenvolver um bom trabalho.

– Em sua opinião, o que falta para melhorar a segurança pública na cidade?

A segurança pública não é só polícia (Civil e Militar), mas também todo um contexto que envolve sociedade, escola, comunidade e principalmente a família. O que falta para melhorar não só em Rondonópolis, mas em todo o país é o aumento da educação das pessoas, já que toda a criminalidade parte do ser humano. Se as pessoas passarem a se conscientizarem teríamos com certeza menos crimes, isso é o que falta em nossa sociedade como um todo.

– O país esta vivendo uma onda de violência, onde pessoas não respeitam mais a vida e matam por qualquer motivo, como você avalia a situação em Rondonópolis?

Comparando com o ano passado o número de homicídios na cidade são menores do que a deste ano. As principais características das mortes são por tráfico de drogas, como briga por território, dívida e tem aqueles homicídios ocasionais que são passionais, motivados por um sentimento entre pessoas e também aqueles que são por vingança. O álcool também impulsiona a prática de crimes como esse.

– Qual a sua visão em relação ao Trânsito da cidade?

O trânsito de Rondonópolis precisa melhorar tanto na questão da fiscalização por parte de todos os responsáveis como Polícia Militar, prefeitura e também as pessoas que fazem parte do trânsito, motoristas e pedestres. Tem que ter a conscientização das pessoas, porque o dia-a-dia faz com que elas tenham pressa e é essa correria que esta matando. É necessário que se tenha ainda mais atenção em relação aos motociclistas, 70% dos acidentes na cidade envolve moto, pensando nisso estamos buscando parcerias para que o problema seja solucionado com campanhas educativas, sinalização e fiscalização para que possamos evitar que mais vidas sejam ceifadas.

– Você tem projetos para o futuro?

O meu projeto é voltado para Rondonópolis, eu e minha família escolhemos esta cidade para morar, já estamos inseridos na sociedade daqui, então, eu tenho como projeto me aposentar e continuar a morar em Rondonópolis.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=FazeoHn8a34[/youtube]

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.