Foto: assessoria

Até a Copa do Mundo de 2014, o Brasil vai continuar enfrentando problemas de desabastecimento de etanol. Essa é a opinião do engenheiro agrônomo Edgar Gomes Ferreira de Beauclair, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), que coordena um grupo de estudos sobre cana-de-açúcar.

Em entrevista à Agência Brasil, Beauclair disse que a produção de etanol não consegue atender ao mercado e que investimentos no setor, mesmo se forem feitos e ampliados imediatamente, só começarão a dar retorno em, no mínimo, 3 anos.

“Infelizmente, não há solução a curto prazo. Não se soluciona essa situação em menos de um ano. A normalização (do abastecimento do mercado), se medidas forem tomadas imediatamente, viria a ocorrer nos próximos 3 ou 4 anos. Possivelmente, nas Olimpíadas (de 2016, no Rio de Janeiro) estaríamos com uma situação melhor. Mas até a Copa do Mundo de 2014 nós vamos ter esse problema”, disse o professor. Ele ressaltou que a necessidade é de “investimentos pesados” para que, no prazo mínimo de 4 anos, o Brasil possa exportar etanol.

Leia também:  Escola Municipal desenvolve projeto de leitura há 20 anos e mobiliza alunos e comunidade

Para este ano, a estimativa do professor é que volte a faltar combustível. “O etanol poderia estar agora com maior pressão de oferta, já que estamos em plena safra. No entanto, isso não está acontecendo. Já está havendo estocagem do produto para a entressafra. Esses preços devem se manter durante o ano inteiro. Não vai voltar mais a R$1,10 (por litro) ou R$ 1,20 justamente para inibir um pouco essa demanda e permitir que haja estocagem. Mas, ainda assim, nas minhas contas, vai faltar cana e, faltando cana, vai faltar etanol”.

A solução para o setor, de acordo com o acadêmico, passa pela ampliação dos investimentos no setor sucroalcooleiro e por uma política pública energética para atrair o investidor. Estimativa da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica) é que a produção de açúcar deve atingir 32,38 milhões de toneladas na safra atual (2011/2012), queda de 3,35% em comparação à safra passada. A produção de etanol deve atingir 22,54 bilhões de litros.

Leia também:  Rondonópolis está entre as cidades escolhidas para pesquisa do Ministério do Turismo
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.