A Delegacia Fazendária detectou que a Câmara de vereadores de Várzea Grande mantinha em seu quadro de pessoal, servidor comissionado que reside em Rondonópolis (distante a 230 km de Cuiabá) sem nem ao menos ter passado pelo município. A constatação foi possível por meio dos documentos apreendidos no início de junho deste ano, em operação de busca e apreensão realizada na Casa de Leis.

De acordo com informações obtidas na Delegacia Fazendária, o servidor Edmar Souza Neves, apesar de constar como funcionário da Casa, de janeiro de 2005 a dezembro de 2005, nunca esteve em Várzea Grande a passeio muito menos a trabalho.

Segundo informação, Edmar confirmou ao Ministério Público do Estado (MPE/MT) que nunca trabalhou na Câmara e ainda, que nunca morou em Várzea Grande, ele reside em Rondonópolis. Agentes da Delegacia Fazendária irão até Rondonópolis para obter depoimento do servidor “fantasma”.

Leia também:  Inscrições com 63 vagas para professores na UFMT começam na segunda

No ano em que ele figurava como servidor, o presidente da Câmara era o então vereador Gonçalo Ferreira de Almeida – popular Pente Fino, e Marcos Boró o primeiro secretário.

Ainda segundo apurado na Delegacia, a Câmara pediu um prazo de 10 dias para apresentar informações, sob alegação de que são muitos documentos. Assim que a Câmara prestar as informações solicitadas, os parlamentares e servidores começarão a ser ouvidos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.