A elevação do índice de criminalidade no município de Campo Verde (150 quilômetros de Rondonópolis) e possíveis soluções para o problema foram tema da audiência pública realizada ontem, pela Assembleia Legislativa do Estado, na Câmara de Vereadores de Campo Verde. O encontro foi uma propositura do deputado estadual, Ondanir Bortolini –Nininho (PR) e reuniu a cúpula da segurança pública de Mato Grosso. Na ocasião, o secretário adjunto de Segurança Pública do Estado, Anderson Garcia informou que a cidade receberá aumento de efetivo para as polícias Civil e Militar, assim que os aprovados em concurso encerrarem o treinamento na academia.

Nininho destacou a necessidade do Estado investir mais em segurança pública, mesmo que para isso tenham que ser feitos cortes em outras áreas, como infraestrutura. “A situação está caótica e as famílias estão preocupadas e com medo da ação de bandidos. De janeiro a maio desse ano em comparação ao ano passado, o número de roubos mais que dobrou”, informou o parlamentar. Nininho aproveitou a oportunidade para anunciar a disponibilização de uma emenda de R$ 50 mil para auxiliar na reforma do destacamento da Polícia Militar em parceria com o poder Executivo. “Vou destinar R$ 50 mil de emenda para a reforma do prédio da PM e o prefeito Dimorvan irá fazer a contrapartida do município”, destacou o legislador.

Leia também:  MPT em Mato Grosso abre inscrições para seleção de estagiários

o prefeito do município, Dimorvan Brescancin reclamou que o delegado do município, Fernando Vasco Pigozzi chegou a acumular cinco delegacias. Ele considerou que somente o município de Campo Verde, embora tenha 35 mil habitantes, já possui trabalho suficiente para um delegado. “Temos mil inquéritos. Na verdade, nosso delegado precisaria de mais um delegado aqui. A cidade está violenta e esperamos poder contar com o apoio do Estado, porque sempre fomos parceiros. Desde 2005 investimos R$ 2,5 milhões em Segurança Pública. Agora queremos mais policiais, mais oito investigadores e escrivães”, reivindicou o chefe do Executivo.

A sociedade civil organizada, por meio de entidades do comércio reforçou o pedido de mais profissionais para o município. “Falta policiais, investigadores e uma viatura. Em dezembro do ano passado o Estado doou uma e logo depois pegou de volta. Não temos um carro para percorrer a zona rural”, disse o presidente do Conselho de Segurança de Campo Verde (Conseg), Ricardo Gomes. Ele ainda oficializou a entrega de um abaixo assinado para o deputado Nininho, solicitando a criação de um posto de polícia na Agrovila, na cidade.

Leia também:  Secid discute projeto de revitalização com igreja, prefeitura e comunidade

O diretor de interior da Polícia Judiciária Civil, Dr. Jales Batista informou que será feito um remanejamento nas delegacias da região, de modo que o delegado de Campo Verde atenderá somente o município. O presidente da Casa de Leis, Geraldo Pereira de Araújo reforço o pedido de maior efetivo para as polícias Civil e Militar.

Nininho assegurou que todas as solicitações da população foram anotadas e agora integram uma pauta de reivindicações que será entregue ao governador do estado, Silval Barbosa. “Vamos entregar essa pauta de reivindicações e, mais que isso, iremos cobrar dos secretários que sejam atendidas”, finalizou ele.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.