A presidente Dilma Rousseff (PT), não quis saber de conversa e bloqueou a liberação de emendas de deputados e senadores para prefeituras, inclusive dos partidos ligados a sua base de sustentação.

O que pode parecer estranho ou um ato simples para atingir a meta de corte, parece ser um caminho sem volta para a moralização da utilização das verbas públicas. A presidente tem e mostrado líder de um ainda pequeno movimento que quer a moralização na política nacional e decidiu não liberar as emendas para evitar as  obras eleitoreiras, como é de praxe neste período pré-eleitoral.

Para os prefeitos que pretendem se reeleger com tais verbas ou fazer seus sucessores, agora resta um único caminho trabalhar sem superfaturamento de obras e pensar que a política nacional começou a trilhar um caminho sem volta, basta apenas o povo agora aderir. E viva a Dilma!

Leia também:  Rotatória da ponte Aroldo Marmo de Souza terá semáforo
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.