Reunião com cmtes sobre segurança nas agencias bancarias Foto: Rafaela Siqueira

Unir forças no combate à criminalidade no Estado, especialmente aos crimes mais violentos e assaltos a banco, que tem preocupado a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) nos últimos dias. Esse foi o foco da reunião do secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado Filho, com o comandante geral da Polícia Militar, coronel PM Osmar Lino Farias, e todos os comandantes dos Comandos Regionais (CR) de Mato Grosso, dos batalhões de Cuiabá e Várzea Grande, Ronda Ostensiva Tático Metropolitana (Rotam) e Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A reunião do secretário com os militares aconteceu na tarde desta segunda-feira (18.07) no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Cuiabá. Na oportunidade, Diógenes Curado destacou a necessidade da reunião para alinhar a atuação da Polícia Militar no combate aos crimes no Estado, especialmente os assaltos a banco. “Os problemas não serão resolvidos de repente, mas a Secretaria vai ajudar esses policiais para que eles possam ter uma reação de forma imediata ao crime, e dar uma resposta à sociedade”, observou Diógenes.

Segundo o secretário, as ações de Inteligência das polícias Civil e Militar deverão ser integradas, para facilitar o trabalho da polícia e ajudar no planejamento operacional da Segurança Pública nas situações de crime, especialmente, nos assaltos à banco. “Um fator positivo que temos hoje é a chegada rápida da polícia nos locais de roubo, como foi no caso da agência do Banco do Brasil de Nova Monte Verde, no início do mês”, destacou Curado.

Leia também:  Dia "D" para atualização de caderneta de vacinação é realizado neste sábado em Rondonópolis

Segundo o comandante geral da Polícia Militar, coronel PM Osmar Lino Farias, hoje as quadrilhas preferem os locais onde tem menos efetivo da Polícia Militar, como Poxoréu, para praticar o roubo. “Estamos unindo forças. Tivemos uma reunião na última sexta-feira com o governador Silval Barbosa que pediu todo empenho da Segurança Pública nessa questão, e estamos buscando todos os meios para inibir esses crimes”, falou Cel. Farias.

“Vamos endurecer nossas ações contra os marginais, sendo mais rigorosos, e para isso vamos utilizar todo nosso aparato de Inteligência, com apoio de outros órgãos que tem uma certa responsabilidade com a segurança pública, como a Polícia Rodoviária Federal e Ministério Público”, completou o comandante geral.

Leia também:  Dupla armada rende família, rouba carro e foge na Vila Verde

Para que se tenha maior agilidade e eficácia na atuação, a Secretaria de Segurança deverá implantar Força Tática nos Comandos Regionais que ainda não contam com esse grupo especializado, como é o caso do município de Vila Rica. “Vamos equipar essa Força e capacitar os policiais que irão compor o grupo potencializando a resposta da polícia às ocorrências, principalmente no interior do Estado”, frisou o secretário, que lembrou ainda que veículos L 200 já foram encaminhadas aos Comandos Regionais que possuem Força Tática.

Segundo Diógenes Curado, a ação da secretaria no combate aos assaltos a banco se definem em três pontos: integração da Inteligência das policiais Civil e Militar, reforço da Força Tática e integração com outras instituições como Ministério Público e Polícia Rodoviária Federal, “para que a Segurança atue de forma organizada”, disse.

O secretário lembrou ainda que já existe um planejamento com as aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) nos primeiros dias de cada mês, período de maior movimentação bancária. “Temos quatro aeronaves do Ciopaer empenhadas nesse planejamento e que fazem o sobrevoo nos municípios todo começo de mês”, pontuou Curado.

Leia também:  Imobiliárias formam o novo Núcleo Setorial do projeto Empreender

Durante a reunião também foi definido a realização de cursos de Inteligência para os policiais que integram os Comandos Regionais da Polícia Militar, para que aja um alinhamento das ações de Inteligência. “Temos que ter um trabalho forte na questão da Inteligência policial, principalmente após a aprovação da Lei Federal nº 12.403/11, que trata da alteração do Código de Processo Penal nas questões relacionadas às medidas cautelares contra pessoas acusadas de cometerem crimes. Precisamos acompanhar esses criminosos por meio do trabalho de Inteligência policial, definindo os pontos críticos e os locais onde os mais perigosos poderão atuar, para prevenir os crimes mais violentos”, destacou.

Diógenes destacou ainda que a Secretaria de Segurança continua investigando as quadrilhas que estão agindo no interior do Estado. “Precisamos antecipar essas ações criminosas atuando de forma proativa e não apenas reativa, e para isso montamos esse planejamento operacional”, falou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.