Foto: assessoria

O governador Silval Barbosa pediu ajuda ao PMDB para que Mato Grosso continue com o direito de indicar o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O cargo vinha sendo ocupado por Luiz Antônio Pagot, que “caiu” devido ao escândalo do chamado Mensalão do Partido da República.

Silval afirmou que pediu ajuda e já teria até nomes para substituir Pagot, mas preferiu não revelar os virtuais indicados. Ele alega estar preocupado com a continuidade das obras que o Dnit tem em Mato Grosso e avançaram muito no governo de Dilma Rousseff e Lula (ambos do PT). “Espero que essa troca não prejudique o Estado. Temos várias obras em andamento, como as BRs 158 e 242, além da duplicação de trecho da 364/163. Isso não pode parar”.

Leia também:  Por RGA, 50 servidores de Rondonópolis manifestam na capital

Apesar de admitir o pedido ao PMDB, o governador fez questão de ressaltar que não pretende interferir na autonomia da presidente. Ela já avisou que pode retirar do PR a indicação para os cargos no Ministério dos Transportes diante das denúncias reveladas principalmente pela revista Veja. “O que depender do governador eu já me coloquei à disposição. Já perdemos Rodrigo Figueiredo (ex-secretário-executivo do Ministério das Cidades). Esperamos que as pessoas percebam a importância desse cargo para nosso Estado”. A bancada federal de Mato Grosso também promete empenho para manter a indicação no Dnit, o principal cargo do governo Dilma com direito a indicação dos parlamentares.

Transporte – Silval viaja hoje a Brasília para discutir com o governo federal o sistema de transporte para Cuiabá visando a Copa de 2014. Ele tenta garantir recursos para implantar o veículo leve sobre trilhos (VLT).

Leia também:  Vereador Thiago Silva questiona valores cobrados pelo Pátio Rondon e pede providências
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.