O último Censo realizado em 2010 apontou que quase 30% (trinta por cento) da população de Rondonópolis é composta por jovens com idade de 15 a 29 anos. Embora os jovens sejam a maior parcela da população, nosso município ainda apresenta índices preocupantes de jovens sem curso superior e desempregados.
Apesar dos resultados positivos do crescimento econômico local impulsionados pelos crescentes incentivos fiscais e pela localização privilegiada da matéria prima que atrai várias empresas para a cidade, os jovens continuam a liderar o ranking de pessoas com maior dificuldade de entrar no mercado de trabalho. Uma das razões detectada por estudos é a falta de acesso a um curso superior. Essa discrepância sócio econômica gera um cenário pernicioso que impede o pleno aproveitamento da expansão do mercado de trabalho, pois cresce o número de oferta de vagas de trabalho, mas elas permanecem em aberto diante a crônica carência de profissionais capacitados para enfrentar os desafios da economia moderna, ou em segundo momento são ocupadas por profissionais de outros estados.

Seguindo o exemplo de países desenvolvidos para se ter um crescimento econômico contínuo, o Estado precisará o mais rápido possível institucionalizar práticas de inclusão profissional de jovens e empenhar-se com mais vigor para fazer valer leis que realmente insiram o jovem em um curso superior e consequentemente no mercado de trabalho, caso contrário teremos num futuro bem próximo um “apagão” de mão de obra.

Leia também:  Delações, colaborações premiadas e o estranho caso JBS

Neste momento faz-se necessário o fortalecimento da educação em Rondonópolis, pois este é primeiro passo para nos consolidarmos como uma cidade promissora e economicamente viável, que necessita de uma juventude preparada para respaldar nosso progresso econômico. E isto só será possível com investimento do governo em educação superior, e a implantação da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, que contribuirá significativamente não só com Rondonópolis, mas sim com toda região sul de Mato Grosso.

Acreditamos que com esta nova instituição de ensino, poderemos suprir a demanda por cursos técnicos, inclusive para jovens de baixa renda que não têm acesso a um curso superior; atenderá a carência de mão de obra qualificada para as empresas que estão se instalando no município; contribuirá para melhoria da saúde pública do município, com a possibilidade inclusive, de implantar o tão esperado e sonhado curso de medicina, que atenderá a grande demanda de formação de profissionais da área em nossa região.

Lembrando que no ano de 2000 a Assembléia Legislativa aprovou a Lei 7.316/2000 de autoria do então deputado José Carlos do Pátio que autoriza o Poder Executivo a instalação do referido campus e dá outras providências. Entretanto acredito que a lei não foi suficiente para tirar este importante projeto do papel e tornar realidade para a juventude de nossa região. Além desta autorização, necessitamos de comprometimento do Governo Estadual para que a UNEMAT se torne um instrumento real na promoção do desenvolvimento sócio econômico de um dos municípios que mais cresce no centro oeste brasileiro.

Leia também:  Mesma essência para nomenclatura diferente

Ainda pode-se considerar que a implantação da UNEMAT contribuirá para redução do nível de desemprego (especialmente para jovens) e a promoção de trabalhos de pesquisa objetivando transformar e consolidar o Município como pólo educacional, de tecnologia e de agregação de valores sobre as matérias primas produzidas em toda nossa região sul.

Certamente o alcance destes objetivos permitirá que toda a sociedade rondonopolitana seja agraciada com inúmeros benefícios, através da implantação de cursos que ainda não foram contemplados pelos estabelecimentos aqui existentes, principalmente para atender a clientela estudantil que não possui condições financeiras para pagar seus estudos em uma universidade ou faculdade particular.
Penso que sempre é possível para os políticos de nosso Município e Estado analisarem com calma o comprometimento em relação ao dever que possuem, junto aos seus eleitores. Por isso, estamos aguardando que o Governo do Mato Grosso deixe sua marca em Rondonópolis com relação à educação, fazendo com que a UNEMAT deixe de ser um sonho, uma promessa e torne-se uma realidade para toda a sociedade, em especial para a juventude que representa aproximadamente um terço de nossa população.

Leia também:  Cuidados odontológicos em pacientes oncológicos

Acreditando que nossas lideranças políticas estão preocupadas com a juventude, aguardamos a instalação da UNEMAT em Rondonópolis para atender a expectativa e diminuir o sofrimento dos filhos dos trabalhadores que lutam para ingressar na universidade.  Caso contrário o sofrimento será maior para as próximas gerações, certamente com maior número de desempregados ou despreparados para o mercado de trabalho, devido ao acentuado processo de globalização  com a invasão da mão de obra especializada de outros lugares.
Enfim não podemos perder mais tempo, somamos todas as nossas forças para reivindicar em alto e bom som: “UNEMAT JÁ!” – certos de que este é o momento de levantarmos essa bandeira mais alta que nunca, acreditando que o Governo do Estado esteja preocupado com o futuro de milhares de jovens rondonopolitanos que dependem desta decisão para concretizarem seus respectivos projetos de vida.

Thiago Silva, Coordenador do Movimento pró instalação da UNEMAT em Rondonópolis-MT.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.