Foto Internet

O acusado de mandar matar três servidores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Jorge Luiz Tabory, vai a julgamento popular em 11 de novembro. O crime que aconteceu em 2007 no campus de Rondonópolis foi classificado como homicídio qualificado se condenado Tabory pode pegar até 30 anos de prisão.

Na época, foram assassinados a pró-reitora do Campus Universitário de Rondonópolis da UFMT, Soraiha Miranda Lima, 41, o prefeito do campus, Luís Mauro Pires Russo, 44, e o professor do curso de Zootecnia, Alessandro Luiz Fraga de 33 anos. A denúncia feita pelo Ministério Público Federal é de que o crime aconteceu por motivos relacionados às funções públicas que as duas primeiras vítimas desempenhavam no âmbito da UFMT.

Leia também:  Polícia Civil cumpre prisão contra 51 criminosos articulados para roubos de veículos

O acusado de ter executado os três, Jaeder Silveira dos Santos, confessou o crime e afirmou que Tabory era o mandante do crime. Jaeder foi condenado a 29 anos de prisão, em 2008.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.