Foto: arquivo / AGORA MT

O ex-prefeito Adilton Sachetti (sem partido), deve disputar realmente a prefeitura de Rondonópolis, nas eleições de 2012, mas, sua filiação não deve acontecer no Partido da República (PR) e sim no Partido Democrático Trabalhista, do senador Pedro Taques.

Os rumores sobre a filiação de Sachetti no PDT são antigos e caso se concretize terão um efeito devastador na candidatura do também ex-prefeito, Percival Muniz (PPS), que contava com o PDT em um futuro arco de alianças de apoio a sua candidatura.

Percival tentava reeditar em Rondonópolis o Movimento Mato Grosso Muito Mais, que lançou em 2010, a candidatura do empresário Mauro Mendes (PSB) ao governo do estado. Em Rondonópolis, o movimento já havia perdido força, quando o Partido Socialista Brasileiro (PSB), comandada pelo Deputado Federal, Valtenir Pereira, decidiu apoiar a gestão Pátio, que já tinha o Partido Verde na administração, outro integrante do Mato Grosso Muito Mais.

Leia também:  No 1º dia de creche, bebê de 4 meses morre após uma parada cardíaca

Procurado pela reportagem, Sachetti, não confirmou a informação de que estria se filiando ao PDT e reiterou que qualquer informação sobre seu futuro político só será anunciada no prazo legal limite (final de setembro).

Caso se confirme a filiação de Sachetti ao PDT e sua entrada na disputa ao Paço Municipal, já existem especulações que o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido Progressista (PP) e o próprio PR já estariam em conversações para compor o arco de alianças de apoio a candidatura Sachetti.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.