Foto: assessoria

O estremecimento na relação entre governo estadual e Assembleia Legislativa é vista como irrisório pelo deputado federal e presidente regional do PMDB, Carlos Bezerra.

O parlamentar acredita que o governador Silval Barbosa (PMDB) está fazendo o possível e que as dificuldades políticas do Poder Executivo estadual são em função da quantidade de partidos da base aliada. Porém, ele concorda que o secretariado da administração estadual tem cometido falhas, como a falta de habilidade em lidar com os parlamentares.

Em sua avaliação sobre o momento político de Mato Grosso e o risco da falta de governabilidade devido ao descontentamento dos deputados estaduais com o secretariado, o dirigente partidário afirmou que não é algo preocupante e apontou as 12 legendas do arco de sustentação como responsáveis pela dificuldade momentânea, pois, em sua avaliação, o governador está mantendo o diálogo com os demais poderes.

“Existe uma dificuldade política, pois são muitos aliados na base aliada. Entretanto, o governo está fazendo o que pode e essa instabilidade é natural. Porém, tudo entrará nos eixos e retornará à normalidade”, avaliou o peemedebista.

Esta insatisfação dos parlamentares com o staff do governador, que resultou na posição de independência do presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PP), acontece desde o início do ano.

Os representantes da Casa de Leis reclamam constantemente que não são atendidos pelos gestores e os principais alvos são Arnaldo Alves (Trânsito e Transportes Urbanos), Rosa Neide Sandes (Educação), Alexander Maia (Meio Ambiente) e Edmilson Santos (Fazenda).

Com as críticas diárias dos parlamentares, o Poder Executivo e o Legislativo entraram em rota de colisão. Sobre a postura do secretariado, o deputado federal e presidente dos peemedebistas em Mato Grosso admitiu falhas no secretariado de Silval Barbosa. “Alguns secretários falham, pois não têm preparo político”.

Porém, afirmou que isso não acontece apenas no Estado, “em Brasília é comum no governo federal”, disse. Bezerra acredita que o chefe do Palácio Paiaguás deve continuar cobrando que sua equipe de governo preste satisfação aos representantes do Legislativo estadual.

GREVES

Sobre as greves na gestão de Silval Barbosa, o deputado federal e ex-governador do Estado denunciou que o funcionalismo público foi esquecido ao longo dos anos.

“Depois que deixei o governo, os servidores foram esquecidos e a retomada desta preocupação está sendo feita por Silval, mas é complicado corrigir erros anteriores”, disse Carlos Bezerra, que governou o Estado de 1987 a 1990.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.