O meia Oscar exibiu um desempenho impressionante para dar o título do Mundial Sub-20 para o Brasil. Na noite deste sábado, no estádio El Campin, em Bogotá, o jogador do Internacional marcou os três gols na vitória por 3 a 2 da seleção de Ney Franco sobre Portugal, na decisão do torneio.

A final só foi definida na prorrogação, depois do empate por 2 a 2 no tempo normal. Com a conquista deste sábado, o Brasil se tornou pentacampeão mundial Sub-20, pois já havia levantado o troféu nas edições de 1983, 1985, 1993 e 2003. Já Portugal tem duas taças da competição em sua história (1989 e 1991, quando venceu justamente a equipe canarinho).

No tempo normal deste sábado, Oscar abriu a contagem para o Brasil, mas, com menos de dez minutos de bola rolando, Portugal empatou com gol de Alex. Já na etapa final, Nelson Oliveira colocou o país europeu na frente, em falha feia do goleiro Gabriel. Mas Oscar voltou a mostrar eficiência para igualar. Já no segundo tempo da prorrogação, o meia cruzou da direita, mas a bola encobriu o goleiro e entrou no gol.

O jogo: O Brasil iniciou o confronto dando a sensação de que adotaria uma postura arrasadora e logo abriu ao placar. Aos quatro minutos, o meia Oscar cobrou falta de longe e contou com um desvio da defesa adversária para balançar as redes dos portugueses.

No entanto, a seleção lusa não se abalou, freou o ímpeto brasileiro e igualou o placar, aos nove. Nelson Oliveira avançou na velocidade pela direita e cruzou na pequena área para Alex, que chegou antes de Danilo para marcar o gol.

Logo no lance seguinte, o Brasil quase mexeu novamente no placar. A defesa portuguesa vacilou pelo alto e Willian José disputou com Mika. A bola acabou acertando a trave, antes de o goleiro dar um tapa na bola, em lance duvidoso, sem ficar claro se chegou a passar da linha. Pouco depois, Oscar bateu mais uma falta de longe e viu o arqueiro adversário se assustar para espalmar para fora.

Willian José também teve sua oportunidade, quando recebeu na direita e chutou rasteiro, para nova defesa de Mika. Porém, aos poucos, o jogo perdeu emoção e passou a ficar mais concentrado no meio-campo.

Já nos minutos finais da etapa, Portugal criou duas boas chances. Nelson Oliveira recebeu nas costas da defesa pela esquerda, mas Gabriel saiu para abafar. O mesmo atacante também dominou no meio da área e finalizou por cima.

No intervalo, o técnico Ney Franco tirou Gabriel Silva e Willian José para as entradas de Allan e Negueba. Com isso, Casemiro acabou improvisado na zaga. Porém, o Brasil não voltou bem para o segundo tempo e foi castigado. Aos 13, Nelson Oliveira arrancou em velocidade pela direita, invadiu a área e chutou cruzado, rasteiro, mas a bola passou por baixo de Gabriel, que falhou e não conseguiu evitar o gol.

Ney Franco, então, fez sua terceira mudança. Como Philipe Coutinho não levava vantagem nas jogadas individuais, o treinador sacou o jogador para a entrada de Dudu. A seleção canarinho se lançou ao ataque e Dudu recebeu na área para cabecear fraco, nas mãos de Mika.

Por outro lado, Nelson Oliveira seguiu dando bastante trabalho para a defesa brasileira, armando contragolpes. Em uma das respostas rápidas, o atacante português entrou na área, driblou Bruno Uvini e chutou, mas o goleiro fez a defesa.

Aos 32, o Brasil igualou o placar. Dudu passou na esquerda por Pele e cruzou forte. O goleiro Mika espalmou, mas o rebote sobrou para Oscar marcar o gol. O Brasil ainda fez novas tentativas na frente, mas ninguém conseguiu mudar novamente o placar do tempo normal.

Assim, a partida foi para a prorrogação. Com a seleção verde-amarela mais presente na frente, Portugal respondeu em um contra-ataque rápido. Caetano recebeu lançamento em velocidade, invadiu livre a área e tentou encobrir o goleiro brasileiro, que defendeu e salvou a equipe.

O Brasil, por sua vez, levou perigo no último lance do primeiro tempo da prorrogação. Danilo chutou forte de fora da área e Mika rebateu, mas conseguiu pular para segurar antes de Oscar chegar.

No segundo tempo, o melhor jogador brasileiro na final marcou mais um gol. Aos cinco minutos, Oscar pegou a bola pela direita e cruzou, mas a bola encobriu o goleiro e entrou nas redes. Antes do apito final, Henrique ainda perdeu uma chance clara de frente para Mika, que fez a defesa.

 

COMPARTILHAR

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.