Foto: arquivo / AGORA MT

O número de acidentes e mortes envolvendo motociclistas aumentou nas rodovias federais de Mato Grosso, de acordo com dados estatísticos. No 1° semestre de 2011, foram 263 acidentes, 277 feridos e 28 mortos. Houve um aumento de 10,9% nos acidentes e 75% nas mortes. Ainda no 1° semestre de 2011, foram 1924 acidentes, 1131 feridos e 140 mortes, envolvendo todos os tipos de veículos. Sendo assim, 13,6% dos acidentes e 20% das mortes têm relação com motociclistas.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal, as infrações mais observadas são, deixar de parar no acostamento à direita, para aguardar a oportunidade de cruzar a pista, onde não houver local apropriado para operação de retorno; conduzir a
motocicleta com os faróis apagados; transportar criança menor de 7 anos de idade na garupa; transitar sem utilizar o capacete de segurança; e conduzir motocicleta com excesso de passageiros.

Leia também:  Após quase 40 anos, escola estadual de Poconé terá quadra poliesportiva

A falta de atenção foi a principal causa: 122 acidentes, o que representa 46,3% do total, no 1° semestre de 2011. A ingestão de álcool vem logo em seguida, com 19 acidentes. Os jovens entre 20 e 24 anos são as principais vítimas, envolvidos em 65 acidentes, ou seja, 24,7% dos 263. Colisões transversais foram 58, representando 22%, a maior parte ocasionada por motociclistas que cruzam a pista sem aguardar no acostamento à direita a melhor oportunidade. Em pista seca, foram 217 (82,5%) acidentes, 128 (48,6%) aconteceram em pleno dia.

Já no 1° semestre de 2010, foram registrados nas rodovias federais de Mato Grosso 237 acidentes envolvendo motocicletas, com 272 feridos e 16 mortos.

Leia também:  Casa pega fogo em Rondonópolis

A PRF dá mais dicas para evitar acidentes com motociclistas:

– Use os equipamentos de segurança. Um capacete aprovado pela legislação é essencial, mas não suficiente. Use luvas, roupas e calçados apropriados, que podem amortecer quedas e proteger o piloto. Sandálias, chinelos, saltos ou calçados que não firmem nos pés não são permitidos;

– Utilize equipamentos de proteção de boa qualidade. O capacete é o principal e faz toda a diferença em caso de acidentes. Deve ser aprovado pelo INMETRO. Além disso, a viseira deve estar abaixada. No caso de estar aberta, o motociclista deve usar óculos de proteção;

– Faça uma inspeção na motocicleta antes de sair. Lembre-se de verificar a calibragem dos pneus e se a corrente de relação não está frouxa ou apertada demais. Atenção também aos sistemas elétricos, freios e profundidade dos sulcos dos pneus;

Leia também:  Paranatinga e Juscimeira recebem Ações Integradas de Cidadanias

– Utilize os dois freios, tendo em vista que na frenagem o peso da motocicleta recai sobre a roda dianteira. O motociclista deve evitar frear bruscamente, pois correrá o risco de perder o controle da direção;

– Em dias chuvosos, redobre a atenção. O ideal é que o condutor pare a motocicleta em algum pátio de posto de gasolina, coloque uma capa de proteção e espere até a chuva remover os resíduos de óleo e borracha que ficam sobre a pista;

– Transitar com atenção, pois em muitas situações o motociclista não consegue ser visto pelos outros veículos, devido aos “ângulos cegos”;

– Não transitar “costurando” o trânsito, nem entre os corredores da pista, pois, desse modo, o condutor fica extremamente vulnerável à acidentes. (Com PRF-MT) I.B

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.