O embargo da Rússia iniciado em junho de 2011 à carne bovina brasileira teve forte reflexo nas exportações no mês de julho para o Brasil e principalmente Mato Grosso. A queda nas exportações para a Rússia de junho para julho deste ano em Mato Grosso foi de 99,5%. Em junho, Mato Grosso exportou para Rússia 4,7 mil toneladas de carne bovina em equivalência carcaça e no mês de julho essa participação foi reduzida para 25 toneladas equivalência carcaça, segundo dados da Secex- Secretaria de Comércio Exterior.

O reflexo no total das exportações de Mato Grosso da proteína vermelha foi de 44,1%, passando de 18,6 mil toneladas em equivalente carcaça no mês de junho para 10,4 em julho. Comparando julho de 2010 ao mesmo período deste ano, a redução foi de 56,9%, quando em julho de 2010 o estado mato-grossense exportou 24,2 mil toneladas eq/car. As exportações para a Rússia da carne de Mato Grosso caiu 99,6%, quando comparado o volume exportado em julho de 2010 de 5,8 mil toneladas, para 25 toneladas no mesmo período deste ano.

Leia também:  Municípios de Mato Grosso são destaque em pesquisa nacional

“Isso é gravíssimo e o governo brasileiro tem que tomar uma atitude mais forte e assumir a responsabilidade de resolver esse impasse, pois esse papel não é do produtor”, posicionou o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso – Acrimat, Luciano Vacari. Ele ressalta que o embargo imposto pela Rússia no mês passado (junho) está refletindo sobremaneira em julho e “não podemos permitir que esse país prejudique a imagem do Brasil no mundo, causando um rombo nas exportações brasileiras, com acusações sem fundamento técnico”. Para Vacari, “o governo federal tem que encontrar novos mercados para essa carne que deixou de ser exportada para os russos”.

O Brasil, segundo a Secex, exportou em julho de 2010, 147,3 mil de toneladas equivalência carcaça e no mesmo período deste ano caiu para 92 mil, uma queda de 37,5%. De junho a julho desde ano, a baixa foi de 18,%, caindo de 112,8 mil de toneladas para 92 mil. No mês de junho o Brasil exportou pra a Rússia 35,3 mil toneladas e no mês seguinte, julho, caiu para 23,4 mil toneladas equivalência carcaça, queda de 37,7%. “Não podemos continuar reféns da Rússia e a quedas nas exportações mostram que o Brasil precisa e tem condições de encontrar alternativas para vender a carne brasileira em outros mercados”, ponderou o superintendente da Acrimat.

Leia também:  Quando o jogo vira doença
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.