O processo de flacidez avança entre as mulheres principalmente depois dos 35 anos

A corrida pode influenciar, mas não é fator desencadeador do problema

Uma alimentação correta é o principal passo para evitar a flacidez

A flacidez é um processo natural que está relacionado com a perda das fibras elásticas responsáveis pela sustentação da pele – processo de envelhecimento que acontece principalmente depois dos 35 anos. Outros fatores também podem desencadeá-la, como a exposição ao sol, a falta de exercícios físicos e a perda ou ganho de peso rapidamente. Ao contrário do que muitas pensam, praticar esportes de alto impacto não é um fator determinante para o seu aparecimento.

“Tudo o que é mais saliente, como os seios e o bumbum, tem uma tendência a cair. A corrida pode provocar maior movimentação dessas áreas, criando um impacto maior. E isso pode acelerar o processo natural de flacidez”, esclarece Camila Hirsch, diretora técnica da assessoria esportiva Personal Life e fisiologista do exercício pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Portanto, a preocupação em escolher um top esportivo adequado para fornecer a sustentação necessária torna-se ainda mais importante.

Leia também:  Tilápia, o peixe que dominou o Brasil

Atenção com a dieta – Assim como qualquer atividade física, a corrida fornece enrijecimento da musculatura e melhora a oxigenação da pele – além de contribuir para a perda de gordura por aumentar a capacidade aeróbia.  Combinar a prática de exercícios a uma alimentação errada pode provocar um efeito não desejado: o emagrecimento rápido e, consequentemente, o aparecimento da flacidez. “Quem perde peso de maneira rápida elimina água e massa muscular, e não gordura”, afirma a nutricionista clínica e esportiva Lívia Hasegawa.

É fundamental controlar o emagrecimento para que ele seja feito de maneira gradual e segura. “A Organização Mundial da Saúde recomenda a perda de 4 kg a 6 kg em 1 mês para adultos. Mesmo assim, o ideal é que seja eliminado de 500 g a no máximo 1 kg por semana, para que esse processo não prejudique a saúde”, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, da PB Consultoria em Nutrição.

Leia também:  Azeite só faz bem na salada?

Proteção reforçada – Além da dieta correta, outros métodos podem fazer parte da rotina da corredora para evitar a flacidez. Praticar exercícios localizados e musculação também pode prevenir o problema, ao proporcionar o fortalecimento dos músculos.

Com a frequência dos treinos ao ar livre, a incidência direta do sol também pode causar flacidez. Segundo a dermatologista Adriana Cairo, isso não está relacionado diretamente à corrida, mas sim à exposição solar e produção de radicais livres. Utilizar bloqueador solar a cada duas horas e evitar correr entre 10h e 16h é recomendado para proteger a pele.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.