Os manifestantes devem permanecer dentro da superintendência até sexta-feira (26), como parte da mobilização nacional “Via Campesina”. (Foto:Ericksen Vital/G1)

O Instituto Nacional de Reforma e Colonização Agrária (Incra) em Cuiabá foi invadido nesta segunda-feira (22/08) por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), cerca de 200 pessoas, a ação faz de uma mobilização nacional do movimento “Via Campesina”, organização que busca apoiar a reforma agrária. Os manifestantes devem permanecer dentro da superintendência do órgão federal até sexta-feira.

De acordo com o representante do MST, Genadir Vieira dos Santos, os trabalhadores reivindicam principalmente os assentamentos das famílias de agricultores. O movimento quer que sejam assentadas 60 mil pessoas em todo o Brasil e aproximadamente 1,5 mil em Mato Grosso.

A assessoria de imprensa do Incra informou que houve uma troca no comando do órgão, em Mato Grosso, e por este motivo ainda não foi possível se posicionar sobre o assunto e nem conversar com os manifestantes. O Diário Oficial da União desta segunda trouxe a exoneração de Willian Cesar Sampaio da superintendência regional. Valdir Mendes Barranco é o servidor que deve assumir o cargo.

Leia também:  Após denúncia, dupla é presa com equipamento fotográfico em Rondonópolis

O líder do MST explicou também que o movimento busca conseguir mais assistência para as famílias que já estão acampadas. Segundo ele, a estimativa é de que haja no estado atualmente 4,5 mil famílias assentadas, mas cerca de mil estariam vivendo em locais sem a mínima estrutura.

Participam do movimento trabalhadores rurais das cidades de Cáceres, Sinop, Rondonópolis, Tangará da Serra e dos municípios da Baixada Cuiabana. Vieira dos Santos informou que durante a semana os integrantes do MST que estão acampados no Incra vão participar de outros atos em Cuiabá, entre eles, a passeata “Acorda Várzea Grande”, região metropolitana da capital, na próxima quarta-feira (24).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.