Tanto na saúde quanto na estética, os seios merecem atenção, e nós do Vila Mulher, junto a uma equipe de especialistas, vamos mostrar pra você como deixar seus seios mais firmes e durinhos. Sem mitos e sem dúvidas, aprenda como ser saudável e bonita!Um dos maiores inimigos da mulher é o efeito da gravidade. Esse vilão é o principal causador dos seios “caídos”, mas ele não age sozinho.Com a ajuda do dermatologista Fernando Passos de Freitas, o professor de educação física Eduardo Cianci Gomes, o personal trainer Carlos Klein e do cirurgião plástico Rogério Schutzler Gomes, vamos conhecer os vários fatores que atrapalham a saúde na área das mamas e aprender a nos defender!Alimentação:Você que pensa que as atividades físicas são de prima importância, vai um aviso: elas só darão resultados se acompanhadas de uma boa alimentação. “Se você tem hábitos alimentares ruins, os seios acabam adquirindo gordura”, explica Carlos Klein. Essa gordura ingerida ajuda a aumentar a flacidez de certas áreas do corpo. “Se ingerirmos alimentos que causam flacidez não há exercício que reverta o caso”, acrescenta Eduardo Gomes. Dessa forma, Dr. Fernando dá a dica: “Alimentos ricos em proteínas e em vitamina C são essenciais para a síntese do colágeno, assim como a ingestão de óleos não saturados que vão evitar o ressecamento da pele”.

Se você tem dúvidas quanto à sua alimentação, procure uma nutricionista de confiança que possa indicar, de acordo com sua rotina e necessidades, o equilíbrio na balança alimentar.

Leia também:  Conheça 8 tipos de sal e aprenda a usá-los

Gravidez e amamentação:

De acordo com o cirurgião plástico Rogério Schutzler Gomes “neste período existe um aumento de volume mamário preparatório para a amamentação, e após a involução desta fase é comum ocorrer mudanças de volume e os seios caírem”. Mas o dermatologista salienta: “Estatisticamente não há estudos que comprovem que gestação e amamentação sejam fatores determinantes para a decadência dos seios”.

Exercícios físicos:

Como a área mamária não possui músculos, os exercícios físicos não têm capacidade de levantar os seios. Mas nem tudo está perdido, Carlos Klein nos dá uma luz: “Um estilo de vida saudável, contemplando atividade física, ajuda a controlar a composição corporal, diminuir o nível de gordura e assim controlar o tamanho e peso dos seios”.

Dessa forma, as atividades físicas servem para retardar a queda dos seios. O dermatologista intensifica: “Os exercícios mantêm os músculos peitorais tonificados. Substituem o superávit gorduroso por músculos, auxiliando no processo circulatório, local que otimiza a oxigenação celular”.

Eduardo nos deixa dicas sobre alguns exercícios: “Musculação moderada, alongamento e exercícios aeróbios. A boa flexibilidade da musculatura envolvida na região peitoral melhora principalmente a postura, projetando os seios à frente”. E o dermatologista Fernando ressalta as massagens: “Essa é uma técnica que além de prazerosa é muito eficaz, pois a manipulação da musculatura proporciona um relaxamento imediato e acelera a remoção de toxinas.”

Leia também:  Álcool pode ser mais prejudicial para as mulheres

Esses exercícios são essenciais no retardo da queda dos seios, mas cuidado ao realizá-los. A roupa e alguns tipos de atividade podem, ao invés de ajudar, atrapalhar. Os impactos que a corrida na esteira provoca agem de forma negativa, prejudicando os seios da mulher, assim como os tops têm que ser firmes, ajudando na sustentação dos exercícios.

Lembremos sempre do fator alimentação ligado aos exercícios. O professor Eduardo reforça: “É estritamente fundamental para qualquer programa de atividade física uma boa alimentação. Isso irá proporcionar todo o suporte para o organismo”.

Cigarros:

Para as mulheres que fumam está aí mais um motivo para encerrar esse vício. “O tabaco tem o poder de quebrar uma proteína constituinte da pele chamada elastina, que é o que confere à pele a elasticidade, possibilitando a sustentação dos seios”, explica o dermatologista. Fumando, você se torna uma aliada da gravidade e acelera a queda dos seus seios.

Mudança de peso:

O famoso efeito montanha-russa, o sobe e desce na balança, também é culpado pela flacidez da pele dos seios. Dr. Fernando esclarece: “A perda de peso é mais preocupante, pois há uma diminuição importante do tecido adiposo, prejudicando a sustentação dos seios”. O cirurgião completa: “Geralmente ganhos e perdas a partir de 5 kg já podem influenciar negativamente no aspecto das mamas.”

Culpa da genética:

Somos vítimas da genética? A hereditariedade é a responsável por várias alterações do organismo humano e parece que no quesito seios, este fator não foge à regra. O cirurgião avisa: “Quem tem história de seios caídos precocemente na família deve estar mais atenta aos fatores controláveis para evitar esta alteração”.

Leia também:  Saúde | Uso abusivo das novas tecnologias causam danos a nossa visão

Dormir de sutiã:

Esse é um dos maiores ‘tabus’ passados das gerações antigas até as mulheres dos dias de hoje. Muito cuidado meninas! O objetivo do sutiã é sustentar os seios durante o dia, mas ele não faz milagres. O cirurgião plástico ensina: “É menos importante seu uso à noite do que de dia, até para facilitar a circulação superficial no tórax”.

Compressa com água gelada:

Puro mito. “Enrijece somente no momento que a água gelada está sobre a mama, por contração involuntária dos músculos piloeretores da pele”, explica Dr. Rogério Schutzler Gomes.

Cosméticos:

Os produtos que têm influência sobre a pele são coadjuvantes da firmeza dos seios. “Sempre atuarão auxiliando a rotina saudável das mulheres”, avisa Dr. Fernando. Até agora nenhum creme ou gel foi comprovado com resultados de sucesso.

Cirurgias:Apesar dos cuidados e de todos os processos que citamos para retardar a queda dos seios, “somente a cirurgia plástica, com ou sem implantes de silicone, pode resgatar mamas caídas”, conta o cirurgião. Mas muito cuidado na escolha da clínica, lembre-se primeiro de você e da sua saúde.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.