Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MTInvestigadores e escrivães da Polícia Civil juntamente com servidores do DETRAN se reuniram na manhã desta segunda-feira (01/08) na Câmara Municipal para prestar esclarecimento à sociedade quanto aos motivos da greve e a realidade das condições de trabalho das categorias.

O presidente do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil e Agentes Prisionais de Mato Grosso (Siagespoc), da sub sede local, investigador Reginaldo Negrão, informou que foram convidados representantes políticos e da sociedade civil para apresentar quais os motivos que levaram as categorias à greve, que não é apenas pela busca de reajuste salarial, mas principalmente por condições de trabalho, por essa razão busca apoio da população.

Leia também:  Em menos de 1 hora, dupla invade e rouba duas residências no Jardim Azaléia

Negrão disse que em Rondonópolis existe delegacia que não tem energia elétrica para que os servidores possam trabalhar. “A situação de trabalho dos investigadores e escrivães está beira do caos, precisamos de condições básicas para atender a comunidade”, informou o investigador.

Amanhã a categoria irá para Cuiabá debater sobre o corte do ponto dos investigadores e escrivães que estão em greve, devido o parecer jurídico que a greve é ilegal, caso haja desconto no pagamento, os policiais suspenderão todas as atividades. “O Governador ameaça corta o ponto dos grevistas, mesmo com 30% do efetivo em atividade como determina a lei. Caso isso ocorra entregarem as chaves das delegacias e 100% das atividades serão paralisadas”, frisou Negrão.

Leia também:  MPE quer condenação de ex-secretário e mais 6 por desvios na Educação
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.