Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MTInvestigadores e escrivães da Polícia Civil juntamente com servidores do DETRAN se reuniram na manhã desta segunda-feira (01/08) na Câmara Municipal para prestar esclarecimento à sociedade quanto aos motivos da greve e a realidade das condições de trabalho das categorias.

O presidente do Sindicato dos Investigadores da Polícia Civil e Agentes Prisionais de Mato Grosso (Siagespoc), da sub sede local, investigador Reginaldo Negrão, informou que foram convidados representantes políticos e da sociedade civil para apresentar quais os motivos que levaram as categorias à greve, que não é apenas pela busca de reajuste salarial, mas principalmente por condições de trabalho, por essa razão busca apoio da população.

Leia também:  Mais de 300 fazendas são interditadas em MT

Negrão disse que em Rondonópolis existe delegacia que não tem energia elétrica para que os servidores possam trabalhar. “A situação de trabalho dos investigadores e escrivães está beira do caos, precisamos de condições básicas para atender a comunidade”, informou o investigador.

Amanhã a categoria irá para Cuiabá debater sobre o corte do ponto dos investigadores e escrivães que estão em greve, devido o parecer jurídico que a greve é ilegal, caso haja desconto no pagamento, os policiais suspenderão todas as atividades. “O Governador ameaça corta o ponto dos grevistas, mesmo com 30% do efetivo em atividade como determina a lei. Caso isso ocorra entregarem as chaves das delegacias e 100% das atividades serão paralisadas”, frisou Negrão.

Leia também:  Motociclista morre em colisão na BR-364

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.