Foto Ronaldo Teixeira / Agora MT

Após dois dias de Júri Popular os seis policiais militares, acusados pela chacina que vitimou sete reeducandos da Cadeia Pública, que na época funcionava na região da Vila Aurora, foram inocentados. A sentença foi proferida na noite desta quinta-feira (26/08), pelo juiz João Alberto Menna Barreto Duarte.

Menna julgou improcedente a acusação contra os réus Izídio Nascimento de Queiroz, João Airton de Oliveira, Adézio Rodrigues de Oliveira, Carlos Augusto Santos Paes, Antônio Carlos de Oliveira da Silva e Francisco Carlos de Souza e os absolveu.

Os policiais foram acusados pelo crime conhecido como “A chacina da Cadeia Pública”, ocorrido em 7 de fevereiro de 1989, que segundo relato um dos reeducandos teria assassinado um policial, o que teria deflagrado a ação dos réus.

Leia também:  Fuga de Poconé | Vídeo mostra detentos batendo em agentes e roubando armas

Foram mortos naquele dia, Francisco das Chagas, Arlindo Pio da Silva, Gilberto Honorato dos Santos, Édio dos Santos Rodrigues, Antônio Carlos Silvério da Costa, Jeová Batista de Souza e Francisco Moreira dos Santos.

A prescrição do crime ocorreria no mês de outubro deste ano. Cerca de 20 testemunhas, entre acusação e defesa, foram intimadas a depor e o corpo de jurados é formado por sete pessoas, entre elas, quatro mulheres e três homens que deverão responder a um questionário de 252 quesitos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.