Foto: Brasnortemt

Willian Cesar Sampaio não é mais superintendente regional do Instituto Nacional de Reforma e Colonização Agrária (Incra) em Mato Grosso. Ele foi exonerado pelo presidente nacional do órgão, Celso Lisboa de Lacerda, e a portaria tratando da saída do cargo que ocupava em regime de comissão foi publicada na edição desta segunda-feira (22) no Diário Oficial da União.

No lugar de Willian, assume Valdir Mendes Barranco, servidor da superintendência. A portaria não menciona os motivos da substituição. De acordo com a assessoria de imprensa do instituto, em Brasília, a troca de gestão refere-se a um procedimento de rotina e que também tem sido realizado em outros estados da federação.

Leia também:  Homologada licitação para Ganha Tempo em Rondonópolis

Nesta semana, o Incra nacional determinou a substituição de superintendentes do órgão em estados como São Paulo, Pernambuco e Tocantins, conforme o setor de imprensa. Segundo a assessoria, não há relação da exoneração com as denúncias de venda ilegal de lotes do Incra em um assentamento do município de Sorriso, a 180 quilômetros de Cuiabá.

O caso veio à tona em julho, durante reportagem exibida pelo Fantástico. A mesma situação foi verificada, à época, na Bahia.

Reportagem
O comércio irregular das terras foi flagrado nas localidades de Cumuruxatiba, distrito do município de Prado, a 800 quilômetros de Salvador, e Sorriso, a 180 quilômetros de Cuiabá.

O servidor Lionor da Silva Santos, chefe substituto da unidade avançada do Incra em Diamantino, a 209 quilômetros da capital de Mato Grosso, foi exonerado. Ele foi apontado por um dos assentados de Sorriso como responsável por um esquema para acobertar a venda ilegal dos lotes. O servidor negou participação, durante entrevista ao G1.

Leia também:  Paranatinga | Atleta de Jiu Jitsu conquista duas medalhas de ouro em campeonato internacional

Em Mato Grosso, as denúncias de irregularidades em assentamento mostravam as vendas de lotes no assentamento Jonas Pinheiro, criado em 2001 e onde vivem mais de 200 famílias.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.