Foram mais de 40 mil bandas inscritas, mas apenas uma teria a chance de tocar no palco principal do Rock in Rio. E a escolhida por Roberto Medina, o criador do maior festival de música do mundo, foi a Arsenic, formada por quatro meninos de Fortaleza, que enfrentam o desafio de tocar rock na terra do forró.

Pouco mais de quatro meses depois do início da disputa, lá estavam no palco do Caldeirão os três grupos – Tri, Arsenic  e Gritos de Paz –  escolhidos a dedo por Roberta Medina, Lucas Lima, Junior Lima, o presidente da Som Livre, Marcelo Soares, e Luciano Huck para, junto com a Agnela, indicada pelos internautas, disputar  a grande final do “Olha Minha Banda Rock in Rio”.

Leia também:  Rico e Lázaro | Evil-Merodaque retira estátuas pagãs do quarto do rei

A missão dos concorrentes era interpretar grandes sucessos de bandas que fizeram história no palco do Rock in Rio. Para avaliar essa galera, uma bancada de honra formada por Junior Lima, Roberta Medina, Lucas Lima e a gerente de marketing da Som Livre, Teresa Penna. Mas quem iria carimbar de verdade o passaporte para a cidade do rock de um deles seria apenas um cara, ou melhor, o cara: Roberto Medina.

Os primeiros a subirem ao palco, foram os integrantes da Banda Tri. Eles agitaram a plateia do Caldeirão com a música “Patience”, do Guns`n Roses. Na sequência, os meninos da Grito de Paz arrancaram gritos da torcida com os sucessos “We Will Rock You”, da banda Queen, e “Paradise City”, do Guns`n Roses. A grande vencedora da noite, a Arsenic, colocou o Caldeirão abaixo como o sucessos nacionais “Óculos”, dos Paralamas do Sucesso, e “Nós Vamos Invadir Sua Praia”, do Ultraje a Rigor. Por fim, as meninas do Agnela fizeram todo mundo cantar junto “Pro Dia Nascer Feliz” e “Vem quente Que Eu Estou Fervendo”, do Barão Vermelho.

Leia também:  Resumo de novelas desta segunda-feira (06)

Juntas no palco, lado a lado, as bandas ouviram as impressões dos jurados. Junior Lima, o primeiro a falar, tentou ficar em cima do muro, mas revelou que, se tivesse o poder da decisão, escolheria os meninos do Arsenic. A opinião também foi compartilhada pelo outro produtor musical do Olha Minha Banda, Lucas Lima.

Para deixar a situação de Roberto Medina ainda mais díficil, sua filha, Roberta, e a gerente de marketing da Som Livre, Teresa Penna, discordaram dos meninos. Para elas, a escolhida seria a Tri. E, para o público que votou no site do Caldeirão, Agnela deveria tocar no palco do Rock in Rio.

Mas, a decisão cabia mesmo a Roberto Medina, que carimbou o passaporte da Arsenic para tocar no palco principal do Rock in Rio no dia 30 de setembro. Minutos depois da decisão, os meninos pareciam ainda não acreditar: “A ficha ainda não caiu!”, disse o vocalista Gui.

Leia também:  Rico e Lázaro | Todos no palácio da Babilônia se preparam para o banquete de Belsazar
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.