Divulgação

Entre tantas opções de tratamentos estéticos, há um ingrediente que tem enorme destaque: o ácido. Seus diferentes tipos têm eficácia comprovada na renovação celular e na estimulação da produção de colágeno, tratando oleosidade excessiva, acne e até rejuvenescimento.

Mas é fundamental saber que a escolha por determinado ácido depende justamente da necessidade da pele, garante a doutora Maria Paula Del Nero, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Ar jovial e menos oleosidade
Para quem busca aparentar menos idade ou renovar a pele, a Maria Paula recomenda os ácidos retinóico, glicólico e láctico. “Eles são usados para o rejuvenescimento da pele, pois estimulam a produção de colágeno e a renovação celular. Isto é, retiram a camada de células mortas para dar mais viço à cútis”, justifica.

Leia também:  Conheça as tendências de acessórios que são a aposta do momento | Moda e Beleza

Se o problema for a oleosidade excessiva e a consequente acne, Maria Paula diz que a melhor opção é o ácido salicílico. “Ele é muito usado para tratamentos de cravos e espinhas devido ao efeito queratolítico, que ajuda a secar a acne e esfolia a pele”, explica a especialista, que lembra ainda que todos os ácidos “agem provocando a descamação da epiderme”.

Antes, porém, de submeter a pele à ação dos ácidos é importante verificar junto ao médico se não há alergia, já que este tipo de tratamento também costuma ser contraindicado para gestantes. “Como essas substâncias deixam a pele mais fina, ela fica mais vulnerável à ação dos raios solares. Por isso, é imprescindível proteger a pele muito bem do sol após a aplicação de um ácido”, finaliza Maria Paula.

Leia também:  Colete: Saiba como usar a peça queridinha do momento | Moda e Beleza

Conheça, a seguir, os ácidos um a um.

Azeláico: ácido indicado para clarear sardas e melasmas (manchas do sol).

Bórico: faz parte da formulação de loções tônicas e adstringentes por conta de sua função antisséptica.

Fítico: originário de sementes e dos grãos de alguns cereais, o ácido fítico tem ações antioxidante e clareadora.

Glicólico: originário da cana-de-açúcar, também tem eficácia comprovada para o rejuvenescimento. Age como esfoliante químico.

Hialurônico: faz parte de nosso próprio organismo e tem o poder de enrijecer e amaciar a cútis. Depois dos 30 anos, sua produção cai e a reposição se dá por cremes manipulados.

Málico: extraído da maçã, deixa a pele viçosa, clareia manchas e atenua rugas.

Mandélico: tem funções esfoliante e clareadora, além de amenizar poros abertos.

Leia também:  Conheça a tendência sereísmo 2017 | Moda e Beleza

Resorcina: indicado para tratamentos de acne.

Retinóico: o mais usado para o rejuvenescimento. Derivado da vitamina A, dá maior firmeza e elasticidade à pele.

Tricloroacético (ATA): agressivo, retira a camada superficial da pele dando lugar a uma nova.

Da Latta
Especial para o Terra

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.