Foto: assessoria

Após um dia voltado para decisões sobre a nova forma de gestão dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014, a noite de ontem (20) foi encerrada com três definições: a Agência Executora das Obras da Copa do Mundo (Agecopa) está extinta e dará lugar a Secretaria Extraordinária de Governo (Secopa), Eder Moraes continua à frente dos trabalhos e os diretores de Infraestrutura, Carlos Brito e de Comunicação e Marketing, Roberto França estão fora da reformulação.

No fim, com todo o “imbróglio” criado em torno da autarquia, o até então presidente e agora secretário, Eder Moraes saiu fortalecido do processo, com uma autonomia ainda maior e Roberto França deixou os trabalhos em prol do Mundial por uma decisão pessoal, sem nem mesmo participar da reunião dos diretores da autarquia com o governador Silval Barbosa (PMDB), realizada no Palácio Paiaguás.

Já Carlos Brito, acabou saindo literalmente pela porta dos fundos. Visivelmente abalado, o ex-diretor só conseguiu responder as indagações da imprensa após 18 segundos, ao admitir que seria melhor que muitas coisas não tivessem acontecido.

Leia também:  Idosa é morta após ser abordada e estuprada por motoqueiro em MG

O secretario da nova pasta do governo informou que Silval comunicou a decisão de transformar a Agecopa em secretaria aos diretores presentes, permanecendo o ritmo de trabalho, as atribuições e autonomia financeira. Entretanto com um enxugamento no quadro profissional, incluindo a diretoria.

“Hoje são cerca de 103 funcionários diretos, 220 indiretos e seis diretores. Haverá a redução de 50% dos diretos, ficando em torno de 60 e os diretores que não puderem continuar serão remanejados para outras pastas do Estado.

[Eu venho defendendo essa redução de cargos desde que assumi a Agecopa e acho que esse modelo será mais produtivo e adequado, por mais que haja divergências essa foi uma decisão do governador”.[Quanto à sua permanência no comando dos preparativos para a Copa, Eder afirmou que não houve um convite formal do governador, mas uma determinação de permanência.

Leia também:  Grupo defende permanência de Juary na liderança do prefeito

Já em relação ao futuro dos demais diretores, Yênes Magalhães (Planejamento), Jefferson Ferreira Júnior (Orçamento e Finanças), Yuri Bastos (Assuntos Estratégicos) e Agripino Bonilha (Mobilização Social) o novo secretário garantiu que até sexta-feira (23) define quem continua e quem sai.

NOVA ESTRUTURA

Projeto da Secopa será concluído nesta quarta
O até então presidente da Agência Executora das Obras da Copa do Mundo de 2014 (Agecopa), Eder Moraes, se reúne hoje (21) com o secretário-chefe da Casa Civil, José Lacerda, o secretário de administração, César Zilio e o procurador-geral do Estado, Jenz Prochnow Júnior, para finalizar o projeto de criação da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), em substituição a autarquia.

“Essa semana protocolamos o projeto na Casa Civil, enviamos para Assembleia Legislativa e até o fim do mês o processo estará todo resolvido. No dia primeiro de outubro a secretaria deve estar funcionando. Agora será um novo modelo de conduzir, mas com os mesmo recursos”, declarou Moraes.

Leia também:  DEM pode ser destino de Sachetti e Garcia

A nova pasta deverá ter três adjuntos, de infraestrutura, administração financeira e de mobilidade urbana e devem ser agregadas a ela outras secretárias de Estado, como de Turismo, Planejamento e Cidades. “O diretor de Comunicação e Marketing, Roberto França, inclusive, foi convidado para assumir a adjunta de Obras, mas ele preferiu ficar fora dessa nova estrutura”, informou Éder.

Quanto à crise gerada na autarquia devido as críticas feitas pelo ex-diretor ao Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), modelo de transporte coletivo escolhido para Cuiabá e Várzea Grande, durante audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, o ainda presidente declarou que está superada. “Depois da tempestade, vem a calmaria”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.