A exportação de carne bovina de Mato Grosso teve um aumento de 46% em agosto comparado ao mês de julho deste ano, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior – SECEX, o que representa 4,8 toneladas (equivalente carcaça) a mais, chegando a 15,4 toneladas. Em julho foi registrada uma queda de 44,1% nas exportações em consequência do embargo russo, contudo a carne produzida no Estado entra em outros mercados.

O superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso – Acrimat, Luciano Vacari, disse que o cenário começa a mudar e a proteína vermelha produzida nos campos de Mato Grosso entra em outros mercados, suprindo a demanda perdida.

Esses destinos são Oriente Médio, Venezuela, Hong Kong, e principalmente para a União Europeia. O bloco europeu foi o destaque nas exportações, dobrando os números de agosto em relação ao mês anterior, e de 8 toneladas equivalência carcaça, passou para 1,92 toneladas, registrando um aumento de 141,5%, gerando uma receita de 14 mil dólares. A China passou de 1 mil tonelada para 1,6 mil (eq.car.),  o que corresponde a 61,4% de aumento. A Venezuela teve um aumento considerável de 54,6 %, saltado de 1,66 mil toneladas para 2,56. O Oriente Médio importou do Estado de Mato Grosso 4,2 mil toneladas em julho passando para 5,5 mil toneladas equivalência carcaça em agosto, aumento de 28,7% e os demais países, foram responsáveis pela comprar de 2,7 mil toneladas em julho para 3,72 em agosto, gerando um acréscimo de 36%. As exportações para a Rússia caíram 100%.

O mercado russo sempre teve participação preponderante nas exportações da carne bovina no Brasil e em especial Mato Grosso. A Rússia em 2010 comprou 26% da carne exportada mato-grossense e no mês de agosto deste ano, nem um quilo. Uma situação iniciado no mês de junho deste ano com o embargo Russo à carne bovina brasileira e que não tem data para acabar. “Mas, como dissemos várias vezes, não podemos ficar parados e hoje a carne, que antes seguia para a Rússia, já esta sendo vendida para outros mercados”, observa Vacari.

Mesmo com esta variação positiva em agosto deste ano, o volume ainda é 36,3% inferior que em agosto de 2010, segundo levantamento do Imea – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária. No mês de agosto do ano passado foram exportadas 24 mil toneladas e no mesmo período deste ano foi de 15,4 mil toneladas. “Mas, o cenário atual é positivo e isso pode ser observado no aumento do abate de bovinos em Mato Grosso neste início da entre safra”, avalia o superintendente da Acrimat.  Ele ressalta que o abate só aumento quando existe mercado, “e isso demonstra mercado interno e externo aquecidos, com o aumento do consumo dos brasileiros e das exportações”.

Segundo levantamento do Imea, o abate foi de 407,0 mil cabeças em julho, um aumento de 6,6% em relação a junho, quando foram abatidas 381,8 mil cabeças. Esse grande volume ficou apenas 4,1% abaixo do pico de maio, quando foram abatidas 424,5 mil cabeças no Estado. “Temos que nos preparar para suprir a demanda do mercado russo, quando o embargo acabar”, disse Luciano Vacari.

COMPARTILHAR

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.