Reunião no Sindicatos dos Bancários - Foto: Varlei Cordova

Com quatro dias de greve cresce o número de funcionários dos bancos que aderiram ao movimento paredista, contudo as rodadas de negociações ainda não tiveram início.

O presidente do Sindicato dos Bancários, Sebastião Tavares, observou que está greve tem mais força, em comparação aos demais anos e se fortalece a cada dia, tendo em vista o número crescente de funcionários que aderiram ao movimento que iniciou com cerca de 4 mil trabalhadores e no quarto dia de paralisação já passou de 6 mil grevistas.

“O Banco Bradesco conseguiu manter as atividades através de medida judicial, mas em contra partida agências do interior também fecharam as portas e é uma conquista importante, pois geralmente não participam da greve por falta de representação sindical”, declarou Tavares.

Leia também:  Medicamento para tratar microcefalia é acrescentado entre os remédios do SUS

O sindicalista explicou que de um modo geral a população não será muito prejudicada, pois a maioria das empresas costuma realizar o pagamento via transferência bancária e as contas podem ser quitadas nas casas lotéricas, na rede credenciada de algum banco ou até mesmo nos terminais eletrônicos e será aberto exceção para aposentados e pensionistas que necessitem de usar a agência para fins de recebimento, quando no for possível saque nos terminais.

Tavares espera que na próxima semana as rodadas de negociações tenham início para que a greve chegue ao fim. Dentre as reivindicações estão o reajuste salarial de 12,8%, participação nos lucros e receitas, piso salarial mínimo do Dieese, vales alimentação e refeição, implantação do Plano de Cargos Carreira e Salários para todos os bancários, auxilio alimentação e outros.

Leia também:  Mãe e padrasto são presos em flagrante após criança ser espancada e morrer
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.