Rondonópolis é um dos seis municípios escolhidos pela Secretaria de Estado de Saúde para realizar a pesquisa de monitoramento tipos de dengue, por exame laboratorial, a medida visa observar qual sorotipo do vírus que a pessoa contraiu, Den1, Den2, Den3 e se ouve a introdução do Den4 no Estado. Também foram selecionadas as cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Sinop e Barra do Garças pelo critério de número populacional e por estar em área de fronteira.

No país o vírus 4 já circula nos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Amazonas, Rondônia e Roraima e como forma de prevenção a Secretária acompanhará junto com os municípios selecionados elegendo uma unidade de saúde para ser referencia para os trabalhos onde será montado um Centro Coletor. Os exames laboratoriais serão encaminhados para o MT Laboratório e posteriormente aos laboratórios nacionais de referência para Mato Grosso como: Instituto Evandro Chagas (IEC_PA), Lacem de Goiás, Lacem de Brasília.

Leia também:  Servidores da Mata Grande e do estado fazem paralisação por não cumprimento de promessas de Taques

De acordo com o Superintendente de Vigilância em Saúde da SES/MT,Oberdan Lira  todas as vezes em que há “troca” do vírus predominante, ou um novo vírus, há risco de epidemias porque parte da população não está imune a ele. Além disso, casos graves podem aumentar porque estão relacionados a sucessivas infecções por diferentes vírus da doença.

O sorotipo 4 não é dos mais agressivos, mas com a população Matogrossense 100% vulnerável, o perigo aumenta. Oberdan Lira explica ainda que a hemorragia por dengue não depende apenas da virulência do sorotipo, mas também da reação do organismo. Quem já teve dengue corre mais riscos: Provavelmente milhares de pessoas tiveram contato com os sorotipos 1, 2 ou 3 sem sintomas importantes ou nem sabe que adoeceram. Se por ventura essas mesmas pessoas forem infectadas pelo 4, será maior chance de a doença ser mais grave.

Leia também:  Em outubro nova gestão assume o Hospital Regional de Rondonópolis

O alerta da Secretaria de Estado de Saúde é de que o Combate a Dengue é um dever de todos, e os cuidados são os mesmos, o de não deixar o mosquito nascer. Lixo acumulado, água parada, quintal sujo, objetos como copo, garrafas, baldes, pneus são possíveis criadouros. Eliminado os criadouros o mosquito não nasce.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.