Foto: assessoria

Em alusão ao Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, a Câmara Municipal concedeu nesta quarta-feira (21), durante a 127ª sessão ordinária, espaço para que instituições como Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Centro de Reabilitação Louis Braille, Associação Rondonopolitana de Deficientes Visuais (ARDV), Associação de Surdos de Rondonópolis (Assuroo) e Associação de Deficiente Físicos de Rondonópolis (Adefir), pudessem comemorar a data, além de reivindicar suas necessidades.

Durante sua fala na tribuna livre, o presidente da Adefir cobrou que as leis que atendem os deficientes visuais sejam cumpridas e que as políticas públicas aconteçam de fato. “Temos leis, mas não são respeitadas. Por isso, aproveito para continuar pedindo a ajuda dos vereadores, que sempre nos apoiaram em todas as nossas lutas”, afirmou.

Deusdete cobrou ainda a criação do Conselho Municipal para Pessoas com Deficiência. “A lei já foi votada e aprovada nesta Casa, porém, o conselho ainda não foi efetivado”, explicou o presidente da associação.
Representando o Centro de Reabilitação Louis Braille, Chirlei Daiane da Silva reivindicou o aumento no número de servidores que prestam serviços na instituição, já que hoje a unidade conta com apenas 18 funcionários, sendo oito cedidos pelo Estado e dois pelo Município. Conforme Chirlei, o número é pequeno, pois o Louis Braille atende atualmente 120 pessoas com problemas visuais, de zero a 80 anos. Segundo a representante do Centro, o quadro de funcionários só pode ser mantido devido a um fundo de reserva que eles têm por conta da venda de um veículo.

Leia também:  Deputados aprovam parcelamento obrigatório do seguro DPVAT

A representante da Apae, Karla Lara Mendes Paes, também manifestou pela falta de funcionários para atender a associação, assim como o presidente da Adefir, ARDV e Assuroo.

Diante do fato, os representantes de todas as instituições presentes cobraram uma colaboração por parte dos vereadores na solução do problema com a falta de servidores. “Tenho certeza que o Legislativo vai tomar uma posição e olhar com carinho para todas as instituições”, falou Chirlei.

Após ouvir as reivindicações, o presidente da Câmara, Ananias Filho, garantiu que todos os vereadores irão colaborar para que não apenas seja mantido o atual quadro de funcionários, mas sim, que haja aumento no número de servidores que atendam a essas instituições.

Leia também:  Com mais de 22 mil inscritos, OAB-MT comemora 84 anos

Após reivindicações Ministério Público revoga decisão

Presente na sessão o promotor Ari Madeira ouviu atentamente a todas as cobranças. O que acontece é que o Ministério Público havia notificado a prefeitura para que os servidores do município, que atualmente prestam serviços nas instituições que atendem pessoas com deficiência, voltassem para seus respectivos cargos no poder público. Contudo, após as manifestações de hoje, o órgão decidiu por revogar a notificação, ou seja, os servidores serão mantidos nas instituições.
“Percebemos que isso já se trata de uma vitória, afinal, o Ministério Público percebeu o que está acontecendo depois da fala de cada representante da instituição e revogou uma decisão”, comemorou Ananias.

Acessibilidade

Leia também:  '29º Anuncia-me' e '11º Anuncia-me aos Pequeninos' acontece em Rondonópolis

Aproveitando o espaço cedido pelos vereadores, a Adefir entregou ao presidente da Câmara Municipal, Ananias Filho, uma placa certificando que a Casa de Leis está dentro dos padrões de acessibilidade.
As exigências passaram a ser atendidas após uma reforma realizada em 2010, durante a gestão do ex-presidente do Legislativo Municipal, vereador Hélio Pichioni.

Além disso, desde 2008, o casal Rosimeire Prado A. de Lima e Genivaldo Pio de Lima participam da transmissão das sessões traduzindo para a linguagem de libras tudo que é dito pelos vereadores na tribuna livre.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.