Até o fim do ano as gestantes estarão incluídas no Bolsa Familia - Foto: Internet

O governo ampliou o Bolsa Família para 185 mil famílias. Os benefícios valem já a partir de agora para famílias com até cinco filhos e, no fim do ano, para gestantes e mulheres que estejam amamentando.

Já prevendo e se antecipando a possíveis críticas, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, disse que essa ampliação não vai animar as famílias a terem mais filhos. Segundo ela, ricos e pobres, todos tem tido menos filhos. Conclusão da ministra: o Bolsa Família não vai estimular o aumento da taxa de natalidade. Este ano o governo prevê gastar com o programa R$ 16 bilhões.

A ajuda agora é para famílias com até cinco filhos – antes era para três crianças, no máximo. Para receber o benefício ampliado, basta estar com o cadastro em dia. Aí é só usar o cartão do Bolsa Família para sacar o dinheiro.

Leia também:  Criança de 9 anos é morta enforcada a pedido da mãe em Goiânia

O valor é de R$ 32 por filho. Pelas contas do governo, essa mudança vai atender R$ 1,2 milhão de crianças e adolescentes a mais. A partir do fim do ano, o dinheiro do programa deve ser estendido também para quem está amamentando e para mulheres grávidas.

Outra novidade é para famílias como a da costureira Germina de Deus. São pessoas que estão tentando melhorar de vida para não precisar mais do Bolsa Família. Enquanto não arruma um emprego, Dona Germina faz serviços de costura para aumentar a renda.

“Não que a gente seja mal agradecido, porque ajudou e ajuda. Mas a gente quer mudar e passar essa Bolsa Família para outras pessoas que estão mais precisadas que a gente”, disse a costureira.

Leia também:  Garoto morre ao cair de reservatório de água tentando tirar selfie em Olinda

Quem declarar que não precisa mais do Bolsa Família deixa de receber o dinheiro, mas não será excluído do cadastro do programa. Se a renda cair por algum motivo e a família precisar do dinheiro de novo, pode voltar a receber o benefício sem problemas.

“A família que melhorou sua situação de renda tem de procurar a prefeitura, procurar o gestor do Bolsa Família e pedir o desligamento. Ela vai ficar com o cartão. No dia que ela precisar retornar ao Bolsa Família, ela vai retornar automaticamente com o mesmo cartão”, afirmou a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.