Gilberto está fora do Cruzeiro e pode acertar com o Vitória

O meia Gilberto rescindiu amigavelmente seu contrato com o Cruzeiro, após se reunir com a diretoria da Raposa na semana passada. Nesta segunda-feira (26), por meio do seu site oficial, o jogador publicou uma carta de despedida para o clube e seus torcedores, mas não declarou os principais motivos de sua saída da equipe mineira.

Segundo a assessoria de imprensa do jogador, Gilberto optou pela carta em vez de conceder entrevistas para não tumultuar ainda mais o ambiente criado por conta de sua rescisão na Toca da Raposa e pelo fraco desempenho do time no Brasileirão, onde ocupa a 16ª posição com 29 pontos.

O meia passou este último domingo em Salvador, onde discutiu a possibilidade de vestir a camisa do Vitória até o final desta temporada do Campeonato Brasileiro visando manter seu ritmo de jogo. Gilberto estava em sua segunda passagem pelo Cruzeiro e somava 156 jogos e 21 na equipe.

Leia também:  Estreia de Pelé pela seleção brasileira completa 60 anos

Confira na íntegra a carta de despedida de Gilberto

“Quando cheguei a Minas Gerais em 2009 depois de uma temporada ruim na Inglaterra, pude ver o quanto estava certo ao tomar a decisão de jogar num clube do porte do Cruzeiro outra vez. As portas me foram abertas, com especial carinho do presidente Zezé Perrela, e desde então minha alegria aumentou e não parou de crescer. Pude fazer seis meses brilhantes no segundo semestre daquele ano, estreando com uma boa apresentação de todo o time contra o Coritiba. As grandes partidas da equipe me levaram de volta à Seleção, lugar que confesso, nem esperava voltar depois de um ano turbulento no Tottenham. Mas não só voltei à Seleção como voltei a disputar uma Copa do Mundo. Devo isto ao Cruzeiro. Conhecia o trabalho do clube, de suas pessoas e sabia que podia dar a volta por cima aqui na Toca da Raposa. Quem estava lá já sabia quem eu era e que podia me recuperar. E foi o que ocorreu.

Leia também:  Cuiabá Arsenal encara último rival da 1ª fase do brasileiro

Passados praticamente dois anos de muitas grandes passagens e contando esta de quando cheguei, tenho certeza que hoje tomo a medida certa ao deixar a Toca e o convívio com uma torcida que me apoiou e que em todos os momentos nunca deu as costas para mim. Estive para me transferir para Botafogo no meio do ano, e além do presidente, sempre correto comigo, não nego que os apelos e manifestações de carinho do torcedor cruzeirense me fizeram pensar duas vezes. Fiquei e não me arrependo, mas para não estragar este carinho e amor, resolvo agora sair. Motivos tenho alguns. Mas a relação, como qualquer uma, se desgasta e quando se gosta, o melhor é se afastar. Por isto, não me critiquem por que saio sem falar o que todos querem ouvir, ou pelo menos os mais azedos querem, para criar tumulto. O que foi falado depois se esclareceu nas internas. Assuntos que hoje se superam pela necessidade que este clube que prezo tanto tem em retomar seu caminho de vitórias e conquistas, que é o seu real caminho.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

Quero agradecer a direção, aos atletas e a torcida por mais uma passagem inesquecível por Belo Horizonte, onde ganhei novos amigos e parcerias que me deixam muito feliz. Torço e sei que tudo vai dar certo. Eu sigo minha vida e o Cruzeiro, grande e forte, vai viver sempre, sem que precise de mim e de nenhum outro. Somos todos muito menores que o clube e entendo plenamente esta lógica, pois passei em grandes instituições que me ensinaram a perceber isto. Clube e torcida são intocáveis. Nós, atletas e pessoas de fora do campo, somos realmente passageiros.

Grande abraço e muita sorte ao Cruzeiro. Obrigado por tudo,

Gilberto”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.