A homeopatia se preocupa com as causas que levam o indivíduo ao desequilíbrio Foto: Stock.Xchng / Divulgação

Método criado pelo médico alemão Samuel Hahnemann, em 1796, a homeopatia tem como base a Lei dos Semelhantes, citada pelo Pai da Medicina, Hipócrates, no ano 450 a.C. Segundo essa lei, os semelhantes se curam pelos semelhantes. Isto é: para tratar um indivíduo que está doente, é necessário aplicar um medicamento que apresente os mesmos sintomas que o doente apresenta.

Como exemplo, os homeopatas dizem que se uma pessoa ingere doses tóxicas de certa substância, apresentará sintomas como dores gástricas, vômitos e diarreia. Porém, se for administrada essa mesma substância, preparada homeopaticamente, obtêm-se, como resultado, a cura desses sintomas.

Porém, há quem duvide de sua eficácia. A revista científica Lancet, uma das mais importantes do mundo, publicou que não foram encontradas provas convincentes de que estes medicamentos tinham efeitos melhores do que placebos. A polêmica a respeito da homeopatia é longa. Em 2002, um ilusionista americano, James Rendi, ofereceu US$ 1 milhão para quem conseguisse provar que as doses homeopáticas podem realmente curar as pessoas. Até o momento, ninguém ganhou o prêmio.

Leia também:  Confira dicas sobre alimentação saudável na gestação

Preocupação com as causas

As preparações básicas dessas substâncias recebem o nome de tinturas-mãe e a partir delas são iniciados os processos das diluições sucessivas. No início de suas experiências, Hahnemann começou diluindo os medicamentos e verificou que, quanto mais diluía, minimizavam-se as reações indesejáveis. Percebeu também que ao fazer diluições sucessivas das substâncias e agitá-las diversas vezes, obtinha sempre melhores resultados. Foi assim que ele chegou às doses mínimas. Desta maneira, a toxicidade das substâncias é atenuada e o potencial curativo é aumentado.

:: A homeopatia se preocupa com as causas que levaram o indivíduo ao desequilíbrio, algumas vezes aumentando aparentemente a intensidade dos sintomas para fortalecer os mecanismos naturais de cura. Por isso, há, muitas vezes, a sensação de “lentidão” da cura.

Leia também:  Um novo jeito de identificar e tratar o hipertireoidismo

:: Como toda técnica terapêutica, a homeopatia tem seu campo de atuação e limites. A habilidade e experiência do médico homeopata, assim como a colaboração do paciente influem no resultado. O uso ou não de outros produtos concomitantemente, a qualidade do medicamento homeopático, além da condição genética de quem será tratado também influenciam para o sucesso do tratamento.

Cuidados com o medicamento homeopático

:: Sempre mantê-los nos fechados, em frascos originais.

:: Levar o medicamento diretamente à boca sem contato com as mãos no momento de tomá-lo.

:: Antes e após cada dose, permaneça sem se alimentar por um intervalo mínimo de 30 minutos.

:: Os medicamentos devem ficar longe de aparelhos eletrodomésticos, de luz solar direta e locais que possuam odores fortes de perfumes ou produtos de limpeza.

Leia também:  Limão: benefícios, com o que ele combina… e muito mais!

CADERNO VIDA ZH

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.