A emancipação do campus de Rondonópolis da Universidade Federal de Mato Grosso (UTMT) foi novamente defendida em plenário pelo vereador Mohamed Zaher (PR) na sessão desta quarta-feira (14). Ele solicitou a união dos vereadores e maior ação política da bancada de Mato Grosso. Na plateia estavam alunos e professores do campus em busca de apoio dos vereadores.

Mohamed salientou que a emancipação do campus é de suma importância para a educação de qualidade da região Sul do estado porque irá beneficiar outros pólos educacionais e outras faculdades.

Ele salientou como eficaz o processo de mobilização dos professores e alunos nos últimos dias que culminou na descentralização de parte gestão financeira para Rondonópolis. “Isso foi um avanço, mas queremos mais. Queremos a independência do campus, a carta de alforria”, declarou.

Leia também:  Agricultores Familiares pede contorno na BR-364 próximo à Escola São Vicente.

O vereador lembrou das universidades criadas no Norte e Nordeste do País e ressaltou que alguns campi tinham estrutura menor que o de Rondonópolis e que mesmo assim, a presidenta Dilma Rousseff, criou as universidades. “Se eles podem, nós também queremos e vamos lutar por isso. Perdemos uma batalha, mas não perdemos a guerra”.

Para Mohamed, a emancipação do campus é uma questão de justiça. “Aqui temos os professores com maior produtividade da UFMT, com maior quantidade de projetos para a comunidade e temos pessoas competentes à frente dos trabalhos. Precisamos agora mostrar a força do povo rondonopolitano”, ressaltou.

O projeto de emancipação do Campus surgiu em 2005, quando o vereador ocupava o cargo de presidente do Legislativo. “Nós vereadores temos que apoiar esta luta que nasceu nesta Casa durante uma greve dos professores, não vamos desistir agora. Vamos atrás de deputados e senadores para viabilizarmos este projeto”.

Leia também:  Prefeita de Juara e mais três são denunciados por fraude em licitação
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.