Foto: arquivo / AGORA MT

O deputado Percival Muniz (PPS) defendeu que os deputados analisem com cautela a Mensagem do governador Silval Barbosa (PMDB) que será enviada para Assembleia,  prevendo a criação da Secretária Extraordinária da Copa, que substituirá a Agecopa.

Segundo ele, Mato Grosso enfrenta sérias dificuldades financeiras, portanto os deputados devem analisar bem o projeto e verificar se a estrutura da nova pasta está realmente bem enxuta. “Não pode ser votada a toque de caixa. Devemos ter muita cautela na análise, muito cuidado, pois a situação do Estado é crítica. Falta dinheiro para investimentos e o interior está abandonado”, frisou.

Muniz acredita que é possível economizar mais recursos do que está sendo anunciado pelo governo do Estado, que prevê a pasta com três adjuntos e a redução de 220 cargos para 70, totalizando uma economia anual de aproximadamente R$ 4 milhões.

Leia também:  Pátio evita, nos bastidores, bancar possível candidatura de Corrêa

“Outras cidades optaram com estruturas bem mais enxutas que essa para cuidar dos assuntos relacionados ao Mundial”, lembra Muniz, defendendo que a Copa deve ser feita sem sacrificar os serviços públicos. “E estão sacrificando Mato Grosso para investir na Copa do Mundo”, declarou.

Ele ressalta, ainda, que vem alertando que o Estado precisa diminuir o tamanho da máquina estatal, que está pesada e não tem conseguido atender bem o cidadão. “Estamos há algum tempo alertando sobre a atual situação de Mato Grosso, que é crítica, ao ponto de  vir a não ter dinheiro para folha de pagamento dos servidores”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.