Santa Casa de Rondonópolis - Foto: arquivo / AGORA MT

O vereador e ex-provedor da Santa Casa de Misericórdia, Hélio Pichioni, falou durante a sessão da Câmara que o hospital pode parar os serviços a partir desta quinta-feira devido à falta de repasse do SUS.

Segundo o vereador há três meses que o governo não tem feito o repasse, período em que os médicos também estão sem receber. Pichioni falou que a Santa Casa tem feito de tudo para conseguir pagar os outros servidores, mas que assim como eles os médicos também são funcionários e precisam receber.

“Ficamos chateados com essa situação, já que a Santa Casa é referência da região sul e atende pessoas não só de Rondonópolis, mas de várias cidades”, diz. O vereador tabém comentou que o Instituto São Camilo que assumiu o Hospital Regional também teve que bancar sozinho todos os salários dos funcionários porque o governo não fez o repasse da O.S. A assessoria do São Camilo informou que diferente da afirmação do vereador o Hopistal não passa pela mesma situação e que o governo fez o repasse na data prevista.

Leia também:  'Campeonato Brasileiro de Futebol de Surdos' acontece neste sábado em Rondonópolis

Pichioni falou que é testemunha da disposição do Secretário de Saúde, Pedro Henry, para resolver a situação. “Ele já foi falar com o Secretário de Planejamento, Edmilson José Santos, para pedir a liberação do recurso, mas nada foi resolvido”, conta.

O provedor da Santa Casa, Marcelo Carruesco, explicou que o governo prometeu fazer o pagamento nesta quinta-feira (29). O valor da dívida do estado com a Santa Casa passa de 2 milhões.  De acordo com o provedor na quinta-feira vai haver uma assembleia realizada pelos médicos, às 17h, na Santa Casa.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.