Na festa para comemorar seus 80 anos, neste sábado, o deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) projetou como meta “continuar trabalhando”, lembrou o título de quarto deputado mais bem votado do País, em 2010, e se declarou “muito grato a Deus”. A festa foi realizada na Sala São Paulo, uma das mais importantes casas de concerto do País, e teve entre os convidados o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), o governador do Estado paulista, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), e o prefeito da cidade, Gilberto Kassab (ex-DEM).

“Quero continuar trabalhando pela cidade de São Paulo, pelo Estado, pelo País (…). Enquanto Deus me der saúde, e está me dando, eu vou continuar trabalhar. Só Deus vai me aposentar. (Vou trabalhar) enquanto Deus for generoso com a gente e der oportunidade para a gente servir… Eu sou cristão e uma das formas de oração do catecismo que eu estudei é o trabalho. Então, estou capitalizando méritos para um dia, quando for julgado por Deus, ser julgado também com generosidade”, disse.

Leia também:  Criança consegue fugir e pedir ajuda após ver pai matando a facadas mãe e irmãos

Ex-governador e ex-prefeito de São Paulo, Maluf esbanjou auto-estima e citou um provérbio árabe para comentar a presença de políticos importantes e desembargadores em sua festa. “A unidade de medida do sucesso de um homem é o número de amigos. Eu, graças a Deus, posso dizer que três vezes fui candidato a deputado federal, em duas foi a mais votada do Brasil. Essa (eleição de 2010) fui muito bem votado, o quarto mais votado do Brasil. Fui governador, fui prefeito, fui secretário do Estado… Deus me deu a oportunidade de trabalhar. Eu sou muito grato a Deus”. Diante de várias citações religiosas, Maluf foi questionado se teria medo da morte. Em resposta, o deputado recorreu ao bom humor. “Posso te garantir que todos que nasceram nesse mundo morreram”.

Leia também:  Inep vai corrigir prova de candidato que esquecer frase do caderno do Enem

Ele aproveitou ainda para elogiar a mulher, Sylvia Maluf, sempre econômica com as palavras. “São 80 anos garantidos pela Sylvia, que foi mãe dos meus filhos, e metade da vida, pai dos meus filhos quando eu ficava fazendo campanha eleitoral quem garantia a família era a Sylvia. Viajando pelo Brasil, pelo Estado, pela cidade, a mulher tem que garantir a família. A gente não seria bem sucedido se não tivesse um apoio. O apoio é fundamental”, ensinou.

A festa oferecida para 800 pessoas aconteceu na Sala São Paulo, também sede da Orquestra Sinfônica do Estado. Após um coquetel com cardápio e champanhe franceses, a Osesp tocou em homenagem ao político acompanhada do pianista Arnaldo Cohen. Os convidados deixaram o local por volta das 22h40. Na saída, ganharam um exemplar do livro Ele – Maluf, Trajetória da Audácia”, um depoimento ao jornalista Tão Gomes Pinto.

Leia também:  Por denúncia anônima, Polícia apreende mais de uma tonelada de droga no RJ
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.