O presidente dos EUA, George W. Bush, com sua mulher, Laura, durante jogo de beisebol em Arlington, no Texas, em 8 de outubro (Foto: AP)

A Anistia Internacional (AI) pediu nesta quarta-feira (12) que as autoridades do Canadá prendam e processem o ex-presidente americano George W. Bush durante sua visita ao país, prevista para 20 de outubro, acusando-o de vários crimes, entre eles, a tortura.

O pedido consta em um memorando enviado pela organização humanitária internacional às autoridades canadenses em 21 de setembro, informou a AI em comunicado.

“O Canadá é obrigado, por suas obrigações internacionais, a prender e processar o ex-presidente Bush por sua responsabilidade nos crimes contra o direito internacional, entre eles a tortura”, declarou Susan Lee, diretora da organização para a América.

“Como as autoridades dos Estados Unidos não citaram, até agora, Bush diante da justiça, a comunidade internacional deve intervir. Se o Canadá se abstiver de atuar durante sua visita, isso continuará sendo uma violação da Convenção das Nações Unidas contra a tortura e será uma manifestação de desrespeito aos direitos humanos”, completou.

Leia também:  Deslizamento deixa pessoas mortas e dezenas de desaparecidas na China

As acusações da AI se referem principalmente ao programa secreto da CIA executado entre 2002 e 2009, que realizava contra os detidos, segundo a organização, “tortura e outros tratos cruéis, desumanos e degradantes, assim como desaparecimentos forçados”.

Durante seu mandato, afirma a AI, Bush autorizou “técnicas reforçadas de interrogatório”, entre elas a simulação de afogamento.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.