Mano vai mudar mais de meio time em relação à vitória contra a Costa Rica

O Brasil enfrenta o México nesta terça-feira (11), às 22h30 (de Brasília), com a presença do 43º titular diferente na era Mano Menezes: o atacante Hulk, do Porto, toma o lugar ocupado por Fred contra a Costa Rica e ganha sua primeira chance como titular da seleção brasileira.

Desde que assumiu o cargo, Mano já convocou 78 jogadores diferentes e escalou 42 deles como titulares, sem nunca repetir a formação em partidas consecutivas.

Como no número de convocados, os testes de Mano acontecem com mais frequência no setor ofensivo. Mano só escalou três goleiros diferentes, Julio César, Jefferson e Victor, e apenas cinco zagueiros de área: Thiago Silva, David Luiz, Lúcio, Réver e Dedé – os dois últimos, nas partidas contra a Argentina em que o elenco só tinha jogadores que atuam no Brasil.

Leia também:  Brasil joga primeira partida do Grand Prix em Cuiabá

No meio, a coisa muda. Nove jogadores diferentes (entre 20 convocados) tiveram chance, sendo que o técnico alternou entre os esquemas 4-4-2 e 4-3-3, usando um ou dois jogadores da posição. No ataque, então, a alternância é ainda maior: dos 12 convocados, oito já tiveram a chance de começar uma partida.

Hulk, que brilhou na última temporada jogando pelo Porto, se tornará o nono dessa lista, depois de entrar no segundo tempo em três partidas – a última delas na sexta-feira (7), diante da Costa Rica. Acostumado a jogar como ponta-direita em Portugal, ele deve jogar mais enfiado, enquanto Lucas, que é meia de origem, deve cair mais pelo lado direito.

Outras cinco mudanças devem acontecer em relação ao time que saiu jogando contra a Costa Rica: goleiro Jefferson, os laterais Daniel Alves e Marcelo e os volantes Lucas Leiva e Fernandinho entram nos lugares, respectivamente, de Julio César, Fábio, Adriano, Ralf e Luiz Gustavo.

Leia também:  Atleta rondonopolitana é ouro no salto em altura

Para Mano, o jogo contra os mexicanos é a chance de conseguir sua melhor sequência na seleção: o técnico vem de três vitórias seguidas, contra Gana, Argentina e Costa Rica, igualando a série inicial de vitórias nos três primeiros jogos, contra Estados Unidos, Irã e Ucrânia.

No México, que acumulou no mês passado um empate por 1 a 1 contra a Polônia e um triunfo de 1 a 0 diante do Chile, a ordem é esquecer a invencibilidade. O técnico José Manuel de la Torre quer deixar o time montado para as Eliminatórias da Concacaf para o Mundial de 2014.

– Não me interessa o largo período de invencibilidade, mas sim preparar o time para o que vamos enfrentar lá na frente. O importante é o objetivo que traçamos, as Eliminatórias rumo ao Brasil 2014.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

A maior esperança de vitória aos mexicanos é o atacante Javier “Chicharito” Hernández, que atua no badalado Manchester United, da Inglaterra. Antes do jogo, ele esbanjou, entretanto, respeito e classificou a Seleção Brasileira como “histórica” para o futebol.

FICHA TÉCNICA
MÉXICO x BRASIL

Local: Estádio Corona, em Torreón, no México
Data: 11 de outubro de 2011, terça-feira
Horário: 22h30 (de Brasília)
Árbitro: Marlon Mejía (El Salvador)

MÉXICO: Sánchez; Juárez, Rafa Márquez, Moreno e Salcido; Castro, Guardado, Barrera, Giovanni Dos Santos; Peralta e Hernández.
Técnico: José Manuel de la Torre

BRASIL: Jefferson; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Lucas Leiva, Fernandinho e Ronaldinho Gaúcho; Lucas, Hulk e Neymar
Técnico: Mano Menezes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.