Moradoras da Chácara São Rosalvo. Foto. Varlei Cordova/Agora MT

A chuva que ocorreu na madrugada deste sábado causou prejuízo para os moradores da região da Chácara São Rosalvo, cerca de 30 famílias acordaram com a correnteza das águas devastando as propriedades ou deixando os moradores ilhados. O problema é resultado da falta de planejamento dos residenciais construídos na região.

A moradora Nacimenta Maria Bernardo relatou que acordou com o barulho da água, semelhante ao de uma cachoeira, que invadia a propriedade e alagou todo o terreno onde mora. Nacimenta disse que ficou ilhada durante a noite e boa parte da manhã, e que os filhos não tiveram condições de ir trabalhar.

Situação semelhante à vivida por Cristiane Rodrigues, que estava desesperada sem saber o que fazer com a filha e o tio de 89 anos, de quem toma conta. Segundo a moradora depois que as águas abaixaram animais peçonhentos, como aranhas e cobras, tentam entrar na residência.

Leia também:  Rondonópolis | Inquérito investiga fraude de R$ 9,5 milhões em licitação para compra de merenda

A presidente do bairro, Edna Regina Correia, que mora há 20 anos no local, relatou que 35 moradores sofreram algum tipo de prejuízo, seja com a água que entrou na casa e molhou os moveis, a criação de animais que morreram por causa do nível das águas, o tanque de peixes que foi assoreado e a criação levada com a correnteza ou os moradores que estão impossibilitados de sair de casa porque além de estarem ilhados a chuva acabou com a rua de acesso.

Edna relatou que o problema é resultado da construção dos residenciais na região do Jardim Atlântico, sem a construção de galeria de água pluvial. “Não tínhamos esse tipo de problema, com a construção dos conjuntos habitacionais, sem uma estrutura adequada, estamos sendo castigados todas às vezes, e a cada chuva o estrago é maior”, afirmou a presidente do bairro que disse cobrar constantemente uma resposta do poder público.

Leia também:  Igreja Visão Profética realiza bazar neste domingo

Telma Rezende, Engenheira da Construtora Lumen, disse que houve o rompimento de dois diques construídos para amenizar a força das águas, mas que o correto seria a construção de galerias pluviais que conduzisse as águas dos bairros diretamente para o rio, pois os moradores estão em uma área de risco, por ser o ponto mais baixo da região onde toda água fica concentrada.

Como medida paliativa, a construtora realizará a abertura de canais, com uma escavadeira hidráulica, para dar vazão à água e tentar reduzir os problemas. A Lumen é responsável pela construção de um residencial próximo a Chácara e aguarda aprovação da Caixa Economia Federal, para construir as galerias.

O coordenador da Defesa Civil do Município, Messias Cardoso, declarou que a construtora prestou ajuda aos moradores e irá colaborar na ação para fazer canais de vazão para a água, e foi acionada em virtude de estar mais próximo e possuir equipamento mais adequado para o trabalho.

Leia também:  Em comemoração ao dia nacional da doação de leite materno, Santa Casa faz um alerta

Messias relatou que esta de prontidão para tentar socorrer as pessoas, mas há moradores que apresentam resistência em ser retirado do local. A Defesa Civil atende 24 horas pelo telefone (66) 9667-8851, caso ocorra alguma emergência.

De acordo com o site Clima Tempo, a previsão do tempo para a semana é de pancadas de chuva para o município.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.