Dagoberto em ação contra o Internacional, nesta quarta-feira (Foto: Idário Café/VIPCOMM)

A principal incerteza em relação ao elenco do São Paulo para 2012 é o atacante Dagoberto. Com contrato até o dia 19 de abril, o jogador já deixou claro que não gostou da oferta feita pelo Tricolor para uma renovação. Com ofertas de Internacional e Palmeiras, sua permanência está cada vez mais complicada.

Antes da partida desta quarta-feira, no empate por 0 a 0 com o Internacional, em Barueri, quando questionado sobre o assunto, o presidente Juvenal Juvêncio deu uma provocada no jogador, mas disse que ainda fará uma última tentativa para buscar um acerto.

– Eu nunca conversei com o Dagoberto para ver isso. Ele é um cara fácil? Não. Ele tem um empresário complicado? Tem. Ele quer ganhar mais do que merece? Sim. Eu sou um pessoa fácil? Não. Mas não é uma situação definitiva. Vou ter uma conversa curta e grossa com ele para tentar resolver essa questão. Aqui, ao contrário de outros lugares, trabalhamos com a razão e não com a emoção – afirmou o dirigente.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

Ao saber que será procurado pelo presidente são-paulino, Dagoberto não deixou barato e ironizou o fato.

– Que bom que ele vai conversar. No ano passado estava esperando por isso, tentei ligar, busquei contato e não houve. Se ele quiser conversar, vou conversar na boa. Faz tempo que espero que ele atenda o telefone. Se ele tivesse me atendido no ano passado, não tenha dúvida de que já teria renovado o contrato – ressaltou.

Artilheiro do São Paulo em 2011, com 21 gols, Dagoberto agradece o interesse do Internacional e diz que, apesar de ter sido procurado pelo Palmeiras, não atuará em um rival do Tricolor se tiver que sair.

Leia também:  Após derrota, Luve tem desafio contra o Oeste

– Fico feliz em saber que o Fernandão (ex-atacante do São Paulo e hoje dirigente do Internacional) me elogiou bastante. Fizemos bons jogos juntos, ele é um cara de muita visão. Na hora certa, todos vão saber o que vai acontecer. O Marquinhos (Marcos Malaquias, empresário) me falou do interesse do Palmeiras, mas por tudo que construí aqui e pelo carinho que tenho pelo torcedor do São Paulo, não jogaria em um rival – ressaltou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.