O encontro do Partido Democrático Trabalhista (PDT) e a passagem do senador, Pedro Taques, por Rondonópolis acabaram por implodir o Movimento Mato Grosso Muito Mais no município.

Tudo teria começado quando, segundo informações, um dos filiados do PDT, que se autodenomina expert em articulação política e também em marketing político, teria aconselhado ao presidente municipal da sigla, o advogado e apresentador Carlos Vanzeli, que não convidasse membros do Partido Popular Socialista (PPS) para participar do encontro, ”Não chame o pessoal do PPS, eles vão querer roubar a cena no nosso encontro”, dito e feito, nenhum membro do partido de Percival foi convidado, mas, poucas horas antes do início do encontro, o senador Pedro Taques questionou, “chamaram o Percival e o PPS”, quando a resposta foi negativa, Taques pediu que os membros do PPS fossem chamados.

Leia também:  Sebastião Rezende busca dar celeridade em construção do Ganha Tempo

Ofendidos com a forma deselegante com que haviam sidos tratados, a cúpula municipal do PPS determinou que nenhum membro comparecesse ao encontro.  Tudo poderia ter terminado neste pequeno episódio, que posteriormente poderia ser muito bem resolvido entre os líderes dos dois partidos, mas, eis que novamente o expert político entrou em ação e conseguiu convencer Taques que Percival estaria utilizando o PDT como escada para se candidatar ao governo em 2014, foi à gota d’água, Taques durante a entrevista coletiva que concedeu horas antes do encontro, entornou o caldo e afirmou com todas as letras, “Não vamos servir de escada para candidatos a prefeito que estão querendo se eleger pensando em 2014”, o que apenas cheirava a encrenca, implodiu o Movimento.

Leia também:  Rodrigo da Zaeli recebe pedido de lideranças comunitárias da região Salmen

O vereador Reginaldo Souza Santos (PPS), foi ao encontro do PDT, pediu a palavra e rebateu Taques, “O Percival Muniz deixou de sair candidato a senador, ou a governador para apoiar o projeto de político de Pedro Taques e Mauro Mendes e agora o PPS é que não vai ser usado como escada. (…) os outros vem aqui recebem votos e vão embora”, contra atacou o vereador.

O discurso de Taques repercutiu em Cuiabá e Mauro Mendes também já respondeu ao senador comum dito popular “O pau que bate em Chico, bate em Francisco”, atacou Mendes, que também visa 2014 e pode ser candidato do PSB em 2012 a prefeito de Cuiabá.

O que parece com o andar da carruagem o Movimento Mato Grosso Muito Mais, vai se tornar a Torre de Babel matogrossense, com cada um dos líderes de partidos falando uma língua diferente e o povo sem entender nada.

Leia também:  Rondonópolis conta com mais de 10 mil inscrições no ENEM
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.