A jornalista e escritora Tristane Banon chega à sua casa após a acareação no último dia 29, em Paris (Foto: Reuters)

O Ministério Público francês arquivou a denúncia de agressão sexual da jornalista e escritora Tristane Banon contra o ex-diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional) Dominique Strauss-Kahn, nesta quinta-feira (13).

Para a Procuradoria, a “falta de elementos de prova suficientes” não admite as acusações de tentativa de violação.

O arquivamento ocorre no mesmo dia em que a jornalista lança um livro sobre os motivos que a fizeram denunciar Dominique Strauss-Kahn por uma tentativa de estupro em 2003, no qual evita citar o nome do ex-diretor do FMI, se referindo a ele pelas palavras ‘porco’, ‘babuíno’, ou aquele que lhe ‘roubou’ a vida.

De acordo com a editora ‘Au Diable Vauvert’, o livro ‘Le Bal des hypocrites’ (‘O baile dos hipócritas’, em tradução livre) não é lançado como um acerto de contas, mas sim para explicar a razão que Tristane teve para levar as acusações de agressão sexual até a Justiça.

Leia também:  Vereador acompanha dia letivo de crianças com Transtorno de Espectro Autista

No último dia 29, Strauss-Kahn e Tristane foram submetidos a uma acareação que durou duas horas e meia, última etapa da investigação preliminar aberta em julho pela promotoria.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.