Dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontam que o abate bovino em Mato Grosso no mês de setembro ficou em 435,8 mil cabeças, uma redução de 8,8%, em comparação a agosto. Contudo o acumulado em 2011 passou de 3,619 milhões de cabeças, o maior obtido no período de janeiro a setembro desde o ano de 2007.

Apesar da redução de 41.813 cabeças abatidas no mês de setembro, o número de diário foi praticamente o mesmo do mês de agosto. O número de abate por dias úteis, excluindo-se os feriados, o ritmo de abate de setembro de 20.751 cab./dia se manteve praticamente estável ao de agosto, com 20.764 cab./dia, ao passo que o mês de agosto registrou dois dias úteis a mais que setembro.

Leia também:  Sinfra pavimenta MT-336 e leva asfalto para Santo Antônio do Leste

Apesar da gradual recuperação e do cenário favorável, os embarques de carne bovina de Mato Grosso ainda sentem os efeitos do embargo russo aos frigoríficos do Estado. Os países do Oriente Médio, que juntos já representavam o principal mercado para os envios do Estado, agora figuram isoladamente como o grande consumidor de nossa carne com 33,6% das exportações.

Outro importante comprador que voltou a ganhar destaque é a Venezuela, que registrou um aumento de 40,9% no volume embarcado. Com isso, as compras do país sul-americano totalizaram 3.620 toneladas eq. carcaça, sendo o maior comprador individual em setembro, posição que antes era ocupada pelo Irã, que comprou 3.595 toneladas no mês. Com isso, os dólares dos dois países, Venezuela e Irã, representaram juntos o destino de 46,3% do volume de toda a carne bovina exportada por Mato Grosso em setembro.

Leia também:  Oito casos de tráfico de pessoas para trabalho escravo é registrado em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.