Jonas comemora o primeiro gol da Seleção no duelo contra o Egito (Foto: Reuters)

A Seleção Brasileira encerrou a temporada 2011 com o pé direito. Com dois gols de Jonas, a equipe comandada por Mano Menezes venceu o Egito por 2 a 0, no Al Rayyan Stadium, em Doha, no Qatar. Além do triunfo, o time canarinho mostrou a evolução tão esperada pela comissão técnica e abriu um leque de opções para futuras convocações. No gol, na lateral esquerda, no meio-campo… Foram muitos os testes que surtiram efeito.

O triunfo desta segunda-feira foi o quarto consecutivo da Seleção Brasileira em equipes comandada pelo americano Bob Bradley, que estreou pelo Egito após passagem pelos Estados Unidos. Sob a batuta de Mano Menezes, o time canarinho já disputou 20 partidas desde que o comandante assumiu o cargo em agosto de 2010. Foram 12 vitórias, cinco empates e três derrotas.

A Seleção só volta a jogar em fevereiro de 2012. O adversário e o local do confronto ainda não foram definidos pela CBF. Mas, de acordo com o site da Fifa, o duelo será contra o mesmo Egito, no Cairo. Certo mesmo é o amistoso contra a Suécia, logo após as Olimpíadas de Londres, no dia 15 de agosto.

Leia também:  Futebol em luto: morre Gilson Lira

Empurrado pela torcida que lotou o Al Rayyan Stadium, o Egito partiu para cima da Seleção Brasileira em busca da abertura do placar logo de cara. E a primeira chance clara foi justamente dos africanos. Aos cinco, El Mohamadi cobrou falta da entrada da área e obrigou Diego Alves a fazer uma grande defesa. E os “donos da casa” ficaram por aí.

Enquanto os torcedores faziam a festa na arquibancada, a Seleção Brasileira passou a tomar conta do jogo, a tocar a bola e não deixar o Egito tomar a iniciativa da partida. A partir dos 20 minutos, os africanos não viam a cor da bola. O time canarinho então passou a chegar com perigo à meta de El Shanawi. Na primeira delas, aos 26, Hulk recebeu ótimo lançamento, matou no peito, ganhou do zagueiro e soltou a bomba. A bola passou por cima do travessão.

O toque da bola da Seleção Brasileira começou a aparecer e outras oportunidades também. Aos 31, Hulk deu um belo passe de calcanhar para Alex Sandro, que estreou bem com a amarelinha. O lateral-esquerdo deu uma canta no adversário e bateu colocado para ótima defesa de El Shawani. O desempenho da equipe cresceu ainda mais, Bruno César comandava as ações pelo meio-campo, distribuindo muito bem a bola pelos lados do campo.

Leia também:  Brasil joga primeira partida do Grand Prix em Cuiabá

E foi justamente em uma recuperação de bola após cobrança de escanteio que surgiu o gol do Brasil, aos 39. Alex Sandro virou o jogo da esquerda para a direita e colocou a bola no pé de Bruno César. O meia rolou para Hulk na ponta direita. Dentro da área, o atacante cruzou para Jonas, que só teve o trabalho de escorar para abrir o marcador em Doha.

Jonas marca mais um e faz jus à camisa 9 da Seleção Brasileira

Na etapa final, o panorama do jogo foi o mesmo. O Brasil marcando forte e saindo rápido para o ataque. O segundo gol não demorou a sair. Aos 13, Bruno César cobrou falta na cabeça de Fernandinho, que deu um leve toque. El Shanawi deu rebote e Jonas fez mais um. Com a vantagem no marcador, o time canarinho passou a jogar ainda mais à vontade.

Leia também:  Meninas do vôlei vencem a primeira em Cuiabá

Logo após o segundo gol da Seleção, Diego Alves mostrou mais uma vez que tem condições de se tornar a sombra de Julio César e Jefferson. Aos 14, El Mohamadi chutou colocado e o arqueiro fez uma linda defesa, espalmando a bola para escanteio. E o Egito parou por aí nos 45 minutos finais do duelo em Doha.

Por outro lado, a Seleção continuou buscando o gol. E o terceiro tento poderia ter saído em contra-ataque puxado por Hulk. Aos 16, o atacante do Porto passou por dois adversários e deu uma passe açucarado para Hernanes. O meia entrou completamente sozinho e bateu cruzado. A bola passou à direita do gol do Egito.

A partir dos 28, Mano começou a realizar mudanças na Seleção. Fernadinho, Bruno César, Jonas e Hulk saíram para as entradas de Elias, Willian, Kleber e Dudu. No fim, enquanto os egípcios que lotaram o Al Rayyan Stadium ficaram decepcionados, os brasileiros encerraram a temporada 2011 com a sensação do dever cumprido.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.