Foto: O Globo

Já começaram as contratações temporárias de trabalhadores para atender a demanda do fim de ano em Mato Grosso. A previsão é que entre 7,5 mil e 8 mil pessoas tenham a oportunidade ou de aumentar a renda familiar ou de conquistar o primeiro emprego. Desse volume, aproximadamente 3,5 mil estão concentrados em Cuiabá e Várzea Grande, conforme previsão do vice-presidente da Federação do Comércio de Mato Grosso (Fecomércio-MT), Hermes Martins.

Segundo ele, as contratações devem crescer até 12% neste ano se comparado com o mesmo período do ano passado. “O bom momento da economia propicia este cenário, principalmente, pelos resultados positivos vividos no campo, se tratando da produção agropecuária”. De acordo com ele, o comércio é o responsável por gerar a maior parte das vagas disponíveis para a época. O representante do setor aponta que do número de contratados temporariamente, entre 10% a 12% são efetivados. “No ano passado, ficamos na faixa de 6,5 mil contratações temporárias e tivemos uma contratação efetiva na faixa de 6,5%, o que é bastante significativa”, relembra.

Leia também:  Santa Terezinha | Ex-prefeito não paga conta de energia e MPE pede bloqueio de bens

Ele destaca ainda que, normalmente, as empresas começam a se preparar para as contratações em setembro e geralmente seguram até fevereiro do ano seguinte. Para a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem), em Mato Grosso, serão 1.264 vagas, nos segmentos da indústria, serviços e comércio. “A pesquisa em questão coloca que 70% deste efetivo é do Comércio”, aponta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá, Paulo Gasparoto.

Ele lembra que de 30% a 40% destas pessoas cobrindo a sazonalidade nas lojas poderão ser contratadas este ano em Mato Grosso. “Todos que adentram uma empresa para prestar serviço são avaliados constantemente. Muitas pessoas que hoje são gerentes de loja começaram a trabalhar na condição provisória”, conclui Gasparoto. A gestora da empresa responsável por selecionar e encaminhar os trabalhadores para o mercado de trabalho temporário, Josiane Gimenes, destaca que as contratações começaram em meados de outubro e deve seguir até janeiro ou fevereiro, dependendo da necessidade.

Leia também:  Exportação de carne bovina aumenta em MT

No entanto, ela avalia que algumas empresas ainda estão mais tímidas para efetuar novos contratos

de mão de obra com receio dos efeitos no mercado internacional. O empresário Ademar Vidotti pretente contratar este ano em torno de 60 funcionários para atuarem em suas lojas na capital. De acordo com ele, as contratações começaram neste mês. “Em torno de uns 20% do quadro serão de temporários”, declarou o empresário. Para ele, aumentar o número de funcionários é favorável tanto para a empresa quanto para o próprio consumidor. “É benéfica [a contratação] porque ela é necessária e se não tiver não daria para atender a demanda”, acrescentou.

A opinião é a mesma do especialista Aladiah Bandeiras, consultor financeiro. “A contratação temporária é importante para toda economia, pois tem um significado muito forte tanto para os trabalhadores, empresas e clientes. Se vai haver uma contratação temporária significa dizer que há um aquecimento da economia. Uma vez contratando estas empresas vão ter uma rentabilidade maior e o faturamente será agregado. Para muitas pessoas, o emprego temporário de hoje é o efetivo de amanhã. Contratar temporário gera riqueza, renda”.

Leia também:  Rodovias federais de MT terá reforço de fiscalização durante feriado de 7 de setembro
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.